Homem é preso ao se masturbar dentro de uma escola

Homem é preso ao se masturbar dentro de uma escola

O suspeito foi localizado pela Polícia Militar (PM) depois de denúncias de estudantes da escola. Eles avistaram o homem se masturbando na parte interna da instituição.

Um homem de 33 anos foi detido por suspeita de abuso sexual nesta quarta-feira (11) em Delta, após se masturbar dentro da Escola Estadual Ivan Mattar Soukef. Após denúncias, ele foi detido e encaminhado para a delegacia de plantão da Polícia Civil em Uberaba, para prestar depoimento. O site entrou em contato com a Superintendência Regional de Ensino de Uberaba, que informou que vai se inteirar sobre os fatos para se posicionar.

O suspeito foi localizado pela Polícia Militar (PM) depois de denúncias de estudantes da escola. Eles avistaram o homem se masturbando na parte interna da instituição. De acordo com o soldado Almeida, o indivíduo foi reconhecido por mulheres e jovens que foram vítimas de assédio. “Ele não tinha passagens, mas dez vítimas, sendo nove menores, o reconheceram. Em algumas ele passou a mão e outras ele agrediu. O suspeito já vinha agindo na cidade e é muito ligeiro, mas hoje conseguimos localizá-lo depois da denúncia”, destacou.

A delegada em Uberaba Laís Fernanda Gomes de Toni ouviu algumas das vítimas e disse que teve conhecimento de um atentado cometido pelo suspeito ainda antes das aulas nesta manhã. “Minutos antes de ingressar na escola ele estava seminu, com a calça abaixada, em um terreno baldio. Nesse momento, uma das alunas que fazia o caminho para a escola e foi abordada por ele, mas uma testemunha conseguiu intervir. Ao que tudo indica, ele queria praticar ato sexual com essa adolescente. E ela também o reconheceu como sendo o autor destes atos”, afirmou.

Conforme o delegado da Polícia Civil em Delta, Diego Paganucci, por causa da tentativa de abuso a uma garota pela manhã deverá ser ratificada a prisão em flagrante. "Vai ser feito procedimento de auto de prisão em flagrante por tentativa de estupro bem como pelos atos libidinos feitos posteriormente na escola", disse. As vítimas dos suspeito são nove adolescentes com idades entre 14 e 17 anos e uma mulher de 27 anos.

Fonte: G1