Homem morre após desenvolver doença cardíaca provocada pelo uso de maconha da droga

A investigação sobre os efeitos da maconha no sistema cardiovascular está em estágios iniciais, mas estudos já apontaram que homens de meia idade são mais suscetíveis aos efeitos maléficos da droga.

Um homem morreu depois de sofrer com problemas cardíacos, resultado do vício em consumir maconha por mais de uma década.

John O'Brien, 53, da Grã-Bretanha, começou a fumar maconha para controlar problemas após sofrer uma lesão no cérebro depois de um acidente de carro.

Mas, após usar a droga diariamente por 10 anos, os efeitos em seu corpo foram devastadores, levando-o a desenvolver uma doença que fez seu coração parar de funcionar.

Um médico legista, após intensa investigação, declarou que a morte de O'Brien foi ocasionada por “cardiotoxicidade à Cannabis sativa” – uma doença pouquíssimo conhecida em que o hábito de fumar maconha leva a problemas cardíacos.

Seu irmão gêmeo Mark, 54, disse que ele começou a usar a droga para lidar com a depressão por ter perdido o emprego devido aos danos cerebrais que sofreu. Ele fumava de 3 a 4 cigarros de maconha por dia.

A família de O'Brien está atordoada e jamais imaginou que a droga, tida como segura por usuários, pudesse provocar a morte, já que tinha efeitos benéficos em sua deficiência cerebral.

“Obviamente nós sabíamos que a droga poderia ser ruim também, mas não pensávamos que poderia matá-lo. Ele dizia que fumando esquecia todos os problemas e lembranças horríveis do acidente de carro. Nós sempre falávamos para ele parar de usar maconha, e ele dizia que estava tentando e buscava um substituto para a droga”, disse o irmão.

A investigação sobre os efeitos da maconha no sistema cardiovascular está em estágios iniciais, mas estudos já apontaram que homens de meia idade são mais suscetíveis aos efeitos maléficos da droga.

Outras evidências afirmam que, na verdade, a maconha pode desencadear doenças cardíacas pré-existentes que os usuários já possuíam antes de começar a usá-la.

David Raynes, porta-voz da Aliança Nacional de Prevenção da Toxicodependência, declarou ao DailyMail: “Pesquisadores alemães descobriram que a maconha afeta o coração. Ela pode provocar desequilíbrios e matar em casos mais raros. É raro, mas acontece. Estamos acostumados a ouvir que a maconha é inofensiva, mas não é verdade”.

“As pessoas não estão cientes do perigo. Não é amplamente divulgado a informação correta. Há um monte de pessoas que fazem campanha pela legalização, que dizem que é inofensiva por ser uma planta, mas não é verdade”, concluiu.

O laudo final da causa da morte foi emitida pelo pesquisador Dr. Benno Hartung, da Universidade de Dusseldorf, na Alemanha, que realizou uma extensa lista de exames, corroborando a suspeita inicial de cardiotoxicidade por maconha.

Segundo ele, o risco de um ataque cardíaco aumenta em cinco vezes após fumar a droga. "As pessoas que estão em alto risco de doenças cardíacas não devem fumar maconha”, disse Dr. Benno.



Fonte: Jornal Ciência