Homem não para de soluçar há mais de 3 anos após noite de bebedeira

Seu neurologista agora planeja receitar uma droga anti-epilepsia

O irlandês Daniel Clavin, de 38 anos, está sofrendo com, possivelmente, uma das piores ressacas da história: ele está soluçando sem parar depois de uma noite de bebedeira, há três anos.

A condição estranha arruinou sua vida: o pobre rapaz tem dificuldade de comer, está com vergonha de sair em público, e tem de dormir sozinho todas as noites.


Homem não para de soluçar há mais de 3 anos depois de noite de bebedeira em despedida de solteiro

Os soluços de Daniel começaram numa manhã de julho de 2011, depois de participar de uma despedida de solteiro na noite anterior. "Eu havia acabado de acordar e não tinha idéia de por que eles começaram", disse ele. "Eu não sou um grande bebedor e eu tinha bebido um pouco além do normal, mas nada muito diferente. Desde então, eu tentei quase tudo - todas as superstições - mas eu não consigo parar."

Viver com soluços não é tarefa fácil - eles causam grave inconveniente para Daniel em seu cotidiano. "Alguns dias são ruins e eu tenho dificuldade para comer e manter a minha comida no estômago", disse ele. "Outras vezes, eles travam o meu diafragma e eu não sou capaz de respirar por 30 segundos. Eu gasto quase todas as noites em um quarto diferente de Susan, minha esposa, para que ela não seja perturbada. Porém, isso acaba colocando uma pressão adicional nas coisas?.

Apesar da condição, Daniel tem conseguido manter o seu emprego como engenheiro de software. Ele viaja para seu escritório em Dublin, duas vezes por semana, e passa o resto de seu tempo em casa, no condado de Roscommon. "Meus colegas de trabalho são muito bons e muito tolerantes, e eu faço tudo que posso para manter os soluços tranquilos", disse ele. "Acho que posso controlá-los melhor e prender a respiração enquanto eu não estou falando?.

O pai de dois filhos acredita que o consumo excessivo de álcool pode ter trazido os soluços, mas eles são uma indicação de um problema mais profundo.

Ele foi a uma série de especialistas, fez duas endoscopias, uma tomografia computadorizada, mudou sua dieta, toma tranquilizantes e consultou um quiroprata, mas nada funcionou. Ele foi recentemente diagnosticado com esclerose múltipla (MS), o que pode ser a causa. Considerando que MS não tem cura previsível, Daniel teria de suportar os soluços para o resto de sua vida.

"Eles tomaram conta da minha vida e eu não sei se algum dia vou me livrar deles", disse Daniel. "Agora que fui diagnosticado com MS, acho que essa é a razão para eles. A sociedade de MS diz que nunca ouviu falar de isso acontecer antes, mas como MS pode afetar seu cérebro, de muitas maneiras diferentes, então pode ser que seja isso mesmo. Disseram-me que eu tenho um alto desenvolvimento da doença e este é o único sintoma até agora, então eu não posso reclamar. Entretanto, MS é uma doença progressiva, então eu não sei se eu vou ser um dia curado dela".

O neurologista Daniel injetou uma droga em Daniel chamada clorpromazina, que geralmente é usado para tratar a esquizofrenia. O fármaco não parou os soluços completamente, mas parece ter estagnado. "Eu tomo o medicamento por sete ou oito dias seguidos e, em seguida, os soluços vão parando e, de repente, eu fico sem eles por cinco ou seis dias. Depois disso, fico perfeitamente bem. Nós ainda não sabemos se é por causa dessa droga?, disse.

Seu neurologista agora planeja receitar uma droga anti-epilepsia, para ver como ele reage a isso. Há também a possibilidade de ter um marcapasso instalado em seu diafragma, que iria interromper o sinal do seu cérebro, visando acabar com os soluços ou amenizar o problema.

Fonte: IrishMirror