Homem se arrasta por 8 km com perna triturada

Homem se arrasta por 8 km com perna triturada

Ele ficou em estado vegetativo após acidente na zona rural de Rio Verde, GO

Por iniciativa de uma enfermeira, uma campanha no Facebook está arrecadando doações para o trabalhador rural Jailson Rodrigues, que ficou em estado vegetativo após sofrer um acidente de trabalho, há cerca de três meses, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás.

Ele teve parte da perna triturada em uma máquina agrícola, na zona rural, e - mesmo machucado - se arrastou cerca de 8 km até conseguir sinal do telefone celular para pedir socorro. Ele foi atendido por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado para o Hospital Municipal de Rio Verde, onde teve três paradas cardíacas e acabou perdendo os movimentos do corpo e a fala.

Sensibilizada com a situação, a enfermeira que atendeu a ligação do trabalhador rural na central de atendimento do Samu está fazendo uma campanha para arrecadar dinheiro e mantimentos para ele e a família, que moram em Maurilândia, a 69 km de Rio Verde e a 232 km de Goiânia. ?No dia que soube que ele estava vivo, fiquei muito emocionada e, por isso, comecei a fazer a campanha na internet?, conta a funcionária do Samu Rhayssa Rodrigues.

De acordo com o enfermeiro do Samu Célio Fernando de Paula, o trabalhador rural superou as dificuldades para permanecer com vida. ?O triturador parou e ele tentou desobstruir a rosca que estava impedindo o funcionamento da máquina com o pé. Com isso, parte da perna foi arrancada e, mesmo assim, encontramos ele consciente e com muita vontade de sobreviver após se arrastar por oito quilômetros para pedir socorro?, relata.

Cuidados

Por causa do acidente, a mãe de Jailson precisa se dedicar integralmente aos cuidados do filho e não pode trabalhar fora de casa. Ela garante que falta dinheiro para comprar os medicamentos e até para a alimentação da família.

?Tem um suplemento que custa R$ 45 e dura somente um dia. Além disso, precisávamos muito das cadeiras adequadas para movê-lo de lugar com mais facilidade. Até a cadeira que a gente usa é emprestada?, lamenta Rosicler Estevão Rodrigues. Segundo ela, a rotina na casa não é fácil: ?Durante o dia, minhas filhas ajudam, mas durante a noite é mais difícil. Já teve dia que fiquei das 18h até as 6h cuidando dele, sem dormir?.

Doações

O interessado em fazer doações a Joilson Rodrigues deve entrar em contato com o Samu de Rio Verde pelo telefone (64) 3620-2099 ou ir até a residência dele, que fica na Rua Olímpio Carvalho de Souza, no Bairro Nossa Senhora da Guia, em Maurilândia. A enfermeira Rhayssa Barros também disponibilizou o telefone (64) 9264-9260 para que os interessados entrem em contato com ela. ?Busco as doações pessoalmente?, afirma.

Fonte: G1