Homens operados de câncer de próstata enfrentam depressão

Homens operados de câncer de próstata enfrentam depressão

A pesquisa foi feita na Flórida e revela como o lado psicológico dos homens com câncer de próstata é afetado

Ansiedade e depressão são algumas das sequelas que podem ficar em pacientes operados de câncer de próstata. Foi o que constatou uma pesquisa feita na Flórida recentemente e que foi publicada na edição online do Psycho-Oncology. Portanto, segundo adverte o urologista Giuliano Aita, a prevenção ainda é o melhor para evitar chegar a uma intervenção como essa e todos os seus efeitos posteriores.

Para alertar sobre a doença mais uma vez, a Sociedade Brasileira de Urologia, inclusive a seccional Piauí, prepara uma campanha para o próximo mês de novembro. ?É muito importante não pararmos de falar sobre o assunto, pois as mortes ainda são freqüentes por esse tipo de câncer. E não é só isso, existem sequelas físicas e emocionais, como prova esta pesquisa recente, que diminuem a qualidade de vida dos pacientes. Portanto, toda a atenção e frequência dos exames são fundamentais?, assevera Aita.

Ainda sobre o estudo, Giuliano comenta que ele comprovou que os homens que experimentam altos níveis de ?ansiedade específica do câncer? precisam de acompanhamento não só da equipe urológica, mas também psicológico. ?Diminuindo a tensão, certamente vai melhorar a qualidade de vida?, acrescenta o especialista.

Os dados mostram que pelo menos 95% dos homens que se submetem a cirurgia para a retirada de um câncer de próstata têm uma taxa de sobrevivência de 10 anos. Portanto, como a sobrevida é longa, é necessário, segundo os especialistas da pesquisa, que essa vida tenha a melhor qualidade possível.

Como lembra Giuliano Aita, mesmo que o câncer de próstata possa ser fatal, o fato é que a maioria dos homens que apresentaram a doença não deve morrer por causa dela.

De acordo com a Sociedade Americana do Câncer, mais de 2,5 milhões de homens que foram diagnosticados com câncer de próstata, nos Estados Unidos, continuam vivos. No Brasil, não é diferente e as probabilidades de sobrevivência, por longos períodos de tempo depois da cirurgia de câncer de próstata, são muito altas.

Nesse estudo, os pesquisadores da Clínica Mayo examinaram o caso de 365 homens que, um ano após a cirurgia para remoção do câncer de próstata, responderam a um questionário, elaborado para medir os níveis de ansiedade, derivada do fato de haverem sido diagnosticados e tratados do câncer de próstata. Os homens também responderam a um outro questionário, elaborado para medir os níveis da função erétil, satisfação sexual e depressão.

Esses resultados mostram que os homens que relataram altos níveis de ansiedade são os que descrevem níveis mais baixos de satisfação sexual e taxas altas de sintomas de depressão.

Fonte: Assessoria