Hospitais de bairros ainda são ineficientes em Teresina

Em razão do atendimento deficiente nas unidades de saúde que deveriam encaminhar, quando necessário, os pacientes para a especialidade correta

A deficiência nos hospitais dos bairros contribui para superlotação do HUT. O problema acontece porque pacientes que poderiam receber atendimento próximo de casa, são encaminhados para o hospital de alta complexidade devido à falta de equipamentos básicos para exames.

Prova disso é a história da idosa Maria de Jesus Campelo, que sofreu uma queda na manhã de domingo, ocasião em que bateu a cabeça na parede. À tarde, os filhos decidiram levá-la ao hospital do Bairro Dirceu. Embora ela estive aparentemente bem, eles acharam melhor que ela fosse examinada pelo médico. O problema é que lá não havia equipamento para tomografia e a idosa acabou sendo encaminhada para o HUT.

Lá, fez o exame e constatou que havia um pequeno coágulo. Por isso, ela deveria ficar em observação por 24h.

Como não tinha espaço na enfermaria, a idosa ficou em uma maca, no corredor, ao lado de vítimas graves de acidente. O odor de sangue no local era muito forte o que incomodou a idosa e a deixou mais nervosa.

?A discussão aqui é que, se o hospital do bairro tivesse o equipamento necessário para o exame, ela poderia ter ficado lá mesmo, pois não precisou fazer qualquer intervenção cirúrgica. O caso dela não era grave e sua passagem pelo hospital poderia ter sido menos traumática, pois ela estaria em um local que atende somente casos menos complicados. Isso é só um dos exemplos de pacientes encaminhados indevidamente para um hospital que já tem muitos casos graves para lidar. Se a rede de atendimento funcionasse, tudo seria mais fácil?, disse a filha da Dona Maria de Jesus, Iris Reis.

O diretor do Hospital do Dirceu, Wildo Campelo, esclarece que a paciente foi encaminhada ao HUT devido ao fato de o atendimento que ela necessitava não ser disponibilizado no hospital do Dirceu, assim como em nenhum hospital de bairro. ?Nós não podíamos ficar com essa paciente no hospital, pois o quadro dela poderia evoluir para algo mais sério e ela precisava fazer uma tomografia e isso é feito em hospital de alta complexidade. No Dirceu, nós só fazemos raio X e esse exame não seria eficaz para o seu caso?, explicou.

Ele afirma ainda que quando um paciente chega ao hospital, ele passa pelo serviço de triagem, é atendido por um médico e esse profissional o encaminha para o atendimento adequado.

Fonte: Pollyanna Carvalho Nayara Felizardo