Hospital Natan Portela faz reforma com doação de R$ 6 mil em THE

Local teve os 23 leitos da ala de atendimento pediátrico reformado

Humanizar o ambiente hospitalar. Foi com esse objetivo que a direção do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP) reformou 23 leitos da ala de atendimento pediátrico do hospital. A obra foi inaugurada na manhã de ontem (15) e só foi possível de ser realizada por conta da doação de R$ 6 mil de um voluntário, que não teve a identidade revelada.

A diretora geral do IDTNP, Maria das Dores Rocha, conta que, além da melhoria dos leitos das enfermarias, a reforma contemplou a construção de uma brinquedoteca, sala para atendimento de médicos residentes e armário individual para os acompanhantes das crianças guardarem seus pertences. “O espaço está mais humanizado e confortável para os pacientes. Com a ajuda do voluntário, doações de outras pessoas e verba do hospital conseguimos otimizar o recurso e fazer o melhor possível”, disse Maria das Dores.

O tema da reforma da ala pediátrica foi “Circo Infantil”. Com o espaço colorido, brinquedos, e papel de parede que remete ao ambiente lúdico, a ideia da arquiteta que elaborou o projeto, Nayara Rocha, foi de montar um espaço integrativo e descontraído, onde as crianças pudessem se sentir bem. “O espaço era cheio de infiltrações, dentre outras irregularidades.

Image title


Fizemos uma nova ambientação aplicando a mais recente proposta de arquitetura hospitalar”, explica Nayara. Com alta demanda de atendimentos, diariamente as enfermarias dos 23 leitos da ala ficam lotados. Os principais casos pediátricos atendidos no hospital são de calazar, hepatite e meningite.

A mãe de uma das crianças internadas no hospital, Marilene Gomes, aprovou a reforma da ala pediátrica. Ela acredita que o tratamento da doença da filha, que ainda não foi diagnosticada, será mais fácil por conta do novo ambiente. A médica pediatra, Dorcas Lamounier, ressalta que o espaço hospitalar influi diretamente no tratamento pediátrico. “Um ambiente descontraído e alegre colabora de forma intensiva com a melhora do quadro clínico do paciente infantil”, destaca Dorcas. Agora, a próxima meta da direção do IDTNP é conseguir recursos para reformar outras áreas do hospital.

Fonte: Pollyana Carvalho e Izabella Pimentel