Lotação: HUT atende 60% além de sua capacidade

A superlotação é recorrente no principal hospital público de Teresina

A superlotação do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) já é uma realidade recorrente há muito tempo, na saúde da capital. Agora, no entanto, a situação parece ter se agravado. O local já ultrapassou em 60% sua capacidade para receber pacientes, nestes primeiros dias de 2013. Tudo isso se deve, segundo informações do hospital, aos pacientes que têm vindo de todo o Piauí e de outros estados do Brasil.


HUT atende 60% além de sua capacidade

?Nós estamos sofrendo as consequências de alguns problemas que têm acontecido nos municípios do Piauí, graças a essa transição do ano político. Muitos hospitais no Estado estão com as portas fechadas. Além disso, nós passamos por esse período de feriados, em que as pessoas viajam mais e acabam, consequentemente se acidentando mais.

Tudo isso junto contribuiu para a lotação do hospital?, disse o médico plantonista do hospital, Gilberto Albuquerque.

Por causa disso, nos primeiros dias do ano, o HUT deixou de atender apenas os casos de urgência, função do hospital, para atender todos os casos que chegam até o local. ?Atendi pacientes que alegaram que não tinham como ficar na sua cidade porque não havia nenhum profissional de saúde no município?, pontuou.

Segundo o médico, na primeira quinzena de janeiro, o hospital esteve com todos os seus 300 leitos ocupados e além deles, as 120 macas e 40 cadeiras de rodas, que serviriam apenas para o deslocamento dos pacientes, também foram utilizados como se fossem leitos. Essa superlotação traz inúmeros problemas tanto aos pacientes como aos profissionais do local.

?Traz problemas como dificuldade de acomodação, sobrecarga dos profissionais, maior consumo de insumos hospitalares. O que agrava ainda mais estes problemas é o fato de nesse período de transição os gestores terem realizado um planejamento apenas até o final de dezembro. Este início de janeiro não foi pensado e por isso os problemas assumem proporções ainda maiores?, pontuou.

Tudo isso reflete diretamente na qualidade do atendimento aos pacientes. Além de receber um péssimo serviço, eles ainda são obrigados a ficarem mais tempo nos corredores do hospital, até conseguirem ser atendidos e terem seu problema resolvido.

Os pacientes que superlotam o HUT nestes primeiros dias de 2013 são de municípios piauiense, de parte do Maranhão e do estado do Pará.

Fonte: Pollyana Carvalho