HUT: superlotação prejudica atendimento bom aos idosos

A visita foi motivada pelas denúncias de familiares de idosos internados no hospital, que relataram um deficiente atendimento aos idosos.

Em visita às instalações do Hospital de Urgência de Teresina Professor Zenon Rocha (HUT), a Defensoria Pública do Piauí, juntamente com demais membros dos Conselhos Estadual e Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa e OAB-PI, constatou a superlotação do hospital, sobretudo no setor de urgência e emergência, o que também reflete na demora do atendimento aos idosos.

A visita foi motivada pelas denúncias de familiares de idosos internados no hospital, que relataram um deficiente atendimento aos idosos. Como foi relatado pelas famílias, o local tem uma demanda grande, apresenta uma demora no atendimento e o espaço não comporta todos os pacientes, estando uma maca lado a lado da outra.

De acordo com a Defensora Pública titular da 2ª Defensoria Pública do Idoso, Dra. Sarah Vieira Miranda, que integrou a comissão e que faz parte do Conselho Estadual do Idoso, o atendimento é deficitário, tanto para os idosos quanto para as demais pessoas. Prova disso é que durante a visita os familiares pediam ajuda.

?Vimos a angústia das pessoas que estavam sem receber atendimento adequado. Elas nos relataram todas as dificuldades para serem atendidas?, coloca a defensora, ao ressaltar que o hospital não oferece um atendimento que valorize a ?dignidade da pessoa humana?.

Na visita, que aconteceu na quinta-feira (03), os integrantes da comissão colheram depoimentos de pacientes e de seus familiares

quanto ao tratamento dispensado e fizeram um amplo registro fotográfico das instalações hospitalares.

A partir dos dados colhidos na visita, está sendo elaborado um relatório para subsidiar o ajuizamento da ação respectiva, visando a melhoria da saúde pública.

São responsáveis pela produção do relatório a Defensoria Pública, a OAB-PI e os Conselhos Municipal e Estadual do Idoso. ?Depois da contrução deste relatório, vamos marcar uma reunião com demais mem-

bros da comissão para discutir as medidas substanciais a serem tomadas?, finalizou a defensora.

Fonte: Virgínia Santos e Aline Damasceno