Idosa de 83 anos bate recordes e brilha no levantamento de peso

Gaúcha residente de Caxias do Sul, dona Malvina se mantém na ativa.


É difícil imaginar alguém com idade avançada na prática de um esporte de explosão de força típica do levantamento de peso. No entanto, sabe-se que a humanidade ainda desconhece em sua totalidade as possibilidades do corpo humano, principalmente quando confrontada com histórias incríveis como a da atleta Malvina Basso, campeã e recordista mundial desta modalidade aos 83 anos.

Gaúcha residente de Caxias do Sul, dona Malvina se mantém na ativa mesmo depois dos 80 e celebra um currículo de quatro títulos mundiais, conquistados em eventos da WABDL (World Association of Benchers and Deadlifters) nos Estados Unidos, nos anos de 2002, 2006, 2007 e 2008.

Atual recordista mundial de sua categoria, Malvina hoje em dia é capaz de erguer 85 kg no levantamento de terra e 40 kg, no supino. A veterana tem peso corporal de 56 kg. "Me sinto como se tivesse 40 anos. Eu gosto de fazer, não canso demais, não tenho nenhum problema de saúde", afirmou a campeã veterana em entrevista ao UOL Esporte.

Malvina Basso teve um início tardio no esporte, levando-se em conta os padrões convencionais. A gaúcha começou a treinar apenas aos 71 anos, mas logo se entusiasmou com a evolução física dos trabalhos e passou a competir meses mais tarde.

A campeã mundial divide sua atenção ao levantamento de peso com uma agenda concorrida como massoterapeuta. Aposentada como auxiliar de enfermagem, a senhora de 83 anos atende clientes diariamente em Caxias do Sul, mas mesmo assim faz questão de manter a dedicação ais treinos, entre duas e três vezes por semana.

Além das atividades fora de casa, Malvina também tem uma rotina puxada como dona de casa, na dedicação aos três filhos de criação e no cuidado com o lar. "Tenho uma empregada que vem todo dia, mas faço a limpeza quando ela não vem. Tenho que manter a casa em dia", diz.

Como atleta, Malvina trabalha na academia de Vilmar Oliveira, que atua como preparador da campeã mundial. Foi o instrutor que convenceu a veterana a disputar competições de nível sênior nos Estados Unidos. "Ela começou a treinar comigo aos 71 anos. Um ano depois se tornou uma atleta, começou a competir. Tem um condicionamento físico de bastante facilidade para o levantamento. Por isso a convidei para um teste de força, para competir. Ela riu de início, achou engraçado, não acreditou muito que pudesse disputar torneios", relata o treinador.

"As pessoas se aposentam, passam dos 60 anos e acham que precisam parar com tudo, que a vida já terminou. Por isso é bacana o exemplo da Malvina", acrescenta Vilmar Oliveira. Em sua rotina, Malvina desfruta de uma celebridade local em Caxias do Sul, diz que é reconhecida na cidade. A campeã afirma não ter segredo especial para o sucesso no levantamento de peso.

"Me sinto bem, não tomo remédios. Só uma vitamina para me manter bem", diz a senhora de 83 anos.

Fonte: UOL