Idoso morre em hospital após ter alimento injetado na sua veia

Agricultor de 91 anos estava internado em Osório, no Litoral Norte. Hospital admitiu erro e afastou a técnica de enfermagem das funções

A Polícia Civil investiga a morte de um idoso de 91 anos no Hospital São Vicente de Paulo, em Osório, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Em depoimento, uma técnica de enfermagem admitiu que cometeu erro em um procedimento, aplicando alimento na veia do paciente. A polícia também apura a denúncia de que funcionários do hospital teriam tentado encobrir o fato, ocultando de familiares a causa da morte. O hospital admitiu o erro e negou que a instituição tenha tentado abafar o incidente. Familiares do idoso não quiseram falar sobre a morte.

"Lamentavelmente ocorreu esse erro de uma técnica de enfermagem. Assim que tomei conhecimento do ocorrido, determinei a abertura de processo administrattivo investigativo. Pelo que pudemos averiguar até agora, de forma alguma houve tentativa de abafar o fato. Ele foi subindo hierarquicamente, até chegar a mim", afirmou Francisco Luiz Moro, diretor-presidente do hospital.

Responsável pelo procedimento, a técnica de enfermagem de 37 anos foi ouvida pela polícia na tarde desta sexta-feira (16). Segundo o delegado responsável pelas investigações, João Henrique de Almeida, ela admitiu ter aplicado o líquido de alimentação na veia do paciente, em vez de usar o tubo que levava ao estômago do homem. ?Sim, houve confissão formalizada. Ela admitiu ter trocado a sonda?, disse o delegado.

O caso chegou à polícia após uma denúncia anônima, feita na quarta-feira (14), dia da morte do agricultor. Ele estava internado no hospital para tratar de problemas respiratórios. No mesmo dia, foi aberto inquérito para apurar o suposto erro hospitalar e a denúncia de que funcionários do hospital teriam tomado medidas para ocultar o erro de autoridades e familiares do paciente.

A polícia também apura uma suposta falsificação da certidão de óbito para ocultar a verdadeira causa da morte do paciente. No atestado de óbito do paciente, a causa da morte do agricultor foi determinada como ?parada cardiorrespiratória e hemorragia digestiva?. "Isso não procede. Pelo que pudemos averiguar até agora, de forma alguma houve tentativa de abafar o fato. Ele foi subindo hierarquicamente, até chegar a mim", garantiu o diretor-presidente do hospital.

O delegado já solicitou a exumação do corpo do homem. Além disso, vai tomar o depoimento de todos os envolvidos no episódio, incluindo enfermeiros, médicos e familiares. ?Vamos confrontar o prontuário com o atestado de óbito e outros laudos?, diz o delegado.

A técnica de enfermagem pode ser indiciada por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, por imperícia. Como ela está colaborando com as investigações, a polícia não viu necessidade de pedir a prisão preventiva dela. Se a alteração de documentos for comprovada, os responsáveis também devem ser indiciados, diz a polícia. A direção do hospital ainda não se pronunciou sobre o caso.

Familiares do idoso se negaram a dar entrevistas. O corpo do agricultor de 91 anos foi sepultado na quinta-feira (15) no Cemitério Municipal Santo André Avelino, em Maquiné, sua cidade natal, vizinha a Osório. Internado por complicações respiratórias, ele deixou sete filhos.

Fonte: G1