Igreja Universal sobre críticas de Jean Wyllys: 'Uniu ódio à burrice motivada"

Deputado havia criticado vídeo dos "Gladiadores do Altar" que rodou as redes sociais nos últimos dias.

A Igreja Universal do Reino de Deus divulgou na tarde desta terça-feira (03) nota em que rebate criticas do deputado Jean Wyllys, que na semana passada, usou as redes sociais  para se pronunciar sobre o controverso projeto Gladiadores do Altar.

"Nas últimas horas, circulam em alguns portais e por redes sociais interpretações absurdas sobre o projeto Gladiadores do Altar (...). O deputado federal Wyllys, que iniciou cruzada pessoal pela Internet contra os Gladiadores do Altar, havia afirmado em seu perfil na rede social Instagram, há duas semanas: 'A burrice motivada é a falta de vida com pensamento; a burrice motivada e o ódio são, quando combinados, o fascismo e estão fazendo emergir o pior das pessoas nas redes sociais digitais e fora delas'. Ao tecer o comentário sobre os Gladiadores, ele contradisse sua própria afirmação, unindo seu ódio à burrice motivada e fez uma avaliação sobre um projeto do qual nada sabe a respeito e sequer procurou saber antes de publicar tal injúria", diz a publicação, intitulada Universal responde ataque de deputado federal.

A polêmica começou no último dia 15 de fevereiro, quando a Igreja Universal do Ceará compartilhou um vídeo, em seu perfil do Facebook, que mostra uma das apresentações dos participantes do projeto. Na gravação, homens uniformizados de verde e preto marcham em fila até se posicionarem lado a lado em posição de sentido. Todos batem continência. Quando o "comandante" à frente se pronuncia, os "gladiadores" repetem suas palavras. Nos dias seguintes, internautas compararam as cenas com ações de grupos religiosos radicais, como, por exemplo, o Estado Islâmico.

"O vídeo é chocante (ao menos para mim). O fundamentalismo cristão no Brasil tem ameaçado as liberdades individuais, a diversidade sexual e as manifestações culturais laicas. Agora ele está formando uma milícia que, por enquanto, atende pelo nome de 'gladiadores do altar'. Quando atentaremos de verdade para o monstro que emerge da lagoa? Quando começarem a executar os 'infiéis' e ateus e empurrar os homossexuais de torres altas como vem fazendo o fundamentalismo islâmico no Oriente Médio? Não é porque tem a palavra 'cristão' na expressão que o fundamentalismo cristão deixa de ser perigoso e não fará o que já faz o fundamentalismo islâmico", escreveu Wyllys em suas redes.

Para a instituição, no entanto, "buscar uma motivação violenta ou condenável em jovens uniformizados que marcham e cantam unidos em igrejas" é "absurdo". A "analogia militar", para ela, pode ser usada "de forma positiva e pacífica".

A IURD alegou ainda que o projeto funciona desde janeiro deste ano e serve para "orientação e formação de jovens vocacionados para a propagação da Fé Cristã".

Fonte: Terra