Implantação de novo sistema eletrônico é principal desafio Corregedoria de Justiça em 2015

A instalação do PJe no Piauí está sendo realizada de acordo com cronograma estabelecido pelo Comitê Gestor do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (Petic).

A informatização da Justiça de 1º Grau piauiense é o principal desafio da Corregedoria Geral de Justiça para o ano de 2015. Em entrevista à imprensa após a solenidade de abertura do Ano Judiciário, realizada nesta quinta-feira (22), no Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI), o corregedor geral de Justiça, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, ressaltou que a instalação do Processo Judicial eletrônico (PJe) nas unidades judiciárias de primeira instância garantirá maior celeridade ao Judiciário.

"Nosso grande desafio para o ano de 2015 é a informatização. Estamos um pouco atrasados em relação ao processo eletrônico, mas temos avançado. Já iniciamos a instalação do PJe nos juizados especiais - que já contam com o sistema Projudi", afirmou o desembargador Sebastião Ribeiro Martins. "O Judiciário piauiense tem uma demanda crescente e com a informatização contaremos com melhores condições de atendê-la", acrescentou, ressaltando que o TJ-PI está investindo em aquisição de equipamentos e programas informatizados.

A instalação do PJe no Piauí está sendo realizada de acordo com cronograma estabelecido pelo Comitê Gestor do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (Petic).

Durante a abertura do Ano Judiciário, o presidente do TJ-PI, desembargador Raimundo Eufrásio Filho, ressaltou a importância de o Tribunal acompanhar os avanços tecnológicos para oferecer uma prestação jurisdicional mais célere aos seus usuários.

O Processo Judicial eletrônico, lançado em junho de 2011, é um sistema informatizado desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça em parceria com os tribunais de todo o país visando à automação do Judiciário brasileiro. Esse sistema permite a prática de atos processuais, além do acompanhamento dos processos nos âmbitos das Justiças Federal, Estaduais, Militar e do Trabalho. O CNJ já utiliza, desde fevereiro de 2014, exclusivamente o PJe para a tramitação de novos processos - os processos anteriores a esta data estão sendo migrados do e-CNJ para o PJe.

Fonte: Assessoria