Incêndio destrói galpão da Ceasa em Fortaleza

Rapidamente as chamas tomaram conta de 20 depósitos instalados no galpão

Um incêndio atingiu, no fim da manhã de ontem, o galpão de cereais da Central de Abastecimento do Ceará S/A (Ceasa), na Rodovia Dr. Mendel Steinbruch, (CE-060), Pajuçara, em Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza. Rapidamente as chamas tomaram conta de 20 depósitos instalados no galpão, que continham gêneros alimentícios e produtos de limpeza. Ninguém ficou ferido. Por volta das 14 horas o fogo foi controlado em 80% do galpão, mas o trabalho de controle das chamas ainda perdurou por toda a tarde.

O fogo começou às 11h20min. Minutos depois, cerca de 30 homens do Corpo de Bombeiros foram deslocados para conter as chamas.

De acordo com o major BM Alfredo de Carvalho Melo, comandante das operações na manhã de ontem, o trabalho inicial das equipes era controlar as labaredas, com o objetivo de impedir que outros pontos da Ceasa fossem atingidos.

Segundo ainda o oficial, cinco veículos Auto Bomba Tanque (ABT) e três Auto Tanque (AT) ajudaram no trabalho de contenção do fogo, que se espalhou rapidamente favorecido pela grande quantidade de material inflamável nos boxes. Os bombeiros usaram também a escada Magirus.

Além do fogo, existia a preocupação por parte da guarnição com o risco de explosão. Conforme o major Carvalho, produtos químicos existentes em algumas lojas poderiam gerar explosões. Pequenas explosões podiam ser ouvidas enquanto as chamas avançavam. Além disso, um posto de combustíveis localizado a poucos metros do local fez com que as equipes trabalhassem inicialmente mais próximo ao posto.

Proprietários de alguns boxes relataram que o fogo pode ter iniciado em uma caixa de energia. Segundo o major Carvalho, as causas só serão conhecidas após a elaboração do laudo pelos técnicos do Instituto de Criminalística (IC).

Prejuízo

O valor estimado dos prejuízos só será divulgado após uma reunião com os proprietários das distribuidoras e a direção da Ceasa, marcada para a manhã de hoje (25). De acordo com Reginaldo Moreira, diretor-presidente da Ceasa, o órgão tem cobertura contra incêndio e o prédio deverá ser recuperado em breve. ?Há três meses fizemos uma reforma, que incluiu o telhado e a parte elétrica?, disse. Enquanto isso, segundo o diretor presidente da Ceasa, o galpão de cereais funcionará em um local provisório, para não prejudicar o funcionamento e as vendas.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br