Índices de mortalidade neonatal chega a 66% em Teresina

A explicação seriam os problemas adquiridos ainda na gravidez.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA (14) DO JORNAL MEIO NORTE

Os índices de mortalidade infantil vem apresentando queda em Teresina, por outro lado, o percentual de mortalidade neonatal ainda assusta quem atua nessa área, na capital. Hoje, a mortalidade, até o sexto dia de vida do recém-nascido, chega a 66%. A explicação seriam os problemas adquiridos ainda na gravidez.

A coordenadora do Núcleo de Saúde da Criança e Aleitamento Materno da FMS, Maria Veloso, chama a atenção para a necessidade de um pre-natal bem feito, para diminuir esse percentual. Outro fator importante são os cuidados com o recém-nascido nos primeiros dias de vida. “Quando nasce, a criança é muito frágil, então precisa de muito cuidado nesses primeiros dias, existem também muitos casos de engasgo com leite materno e asfixia, por isso os pais precisam ficar atentos”, alertou.

Já o número de mortalidade infantil vem sofrendo uma queda, mas ainda precisam avançar os métodos de combate a esse problema, para que os números caiam ainda mais. No ano de 2012 o percentual de morte era de 16,67%. Já em 2013, esse número caiu para 14,4%. “Nossa meta é que esse índice atinja um dígito apenas, pois apesar de estarmos evoluindo, precisamos avançar ainda mais”, pontuou.

Fonte: Pollyana Carvalho