Infrações de trânsito caem 42%, conforme dados da Strans em Teresina

O risco de perder a carteira de habilitação e o temor da multa podem ser apontados como fatores da queda de infrações

A prudência dos condutores teresinenses foi colocada em xeque pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Teresina (Strans) e, nos três primeiros meses de 2015, o número de infrações caiu 42%. Foram 8.486 autuações de janeiro a março, contra 14.705 multas no mesmo período em 2014. Apesar de a quantidade de veículos no trânsito crescer a cada ano, o risco de perder a Carteira de Habilitação e o temor da multa, cada vez mais alta, podem ser apontados como fatores para a queda do número de infrações de trânsito na capital.

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, brinca com o resultado do balanço e atribui a boa notícia a um fator natural: a chuva. "Um fato interessante é que a chuva diminui a quantidade de acidentes no trânsito. Se você fizer uma comparação, a quantidade de acidentes, morte e brigas diminui nos meses mais chuvosos. A população fica mais retraída, especialmente durante os finais de semana. Esperamos que seja um efeito permanente, e não apenas sazonal", comenta.

Brincadeiras à parte, Firmino também atribui a melhoria graças a uma série de intervenções urbanas proporcionadas pela Strans. "Nos últimos meses, a Strans realizou um conjunto de pequenas intervenções em várias zonas da cidade. Temos percebido que elas são extremamente eficazes e provocaram uma melhoria no trânsito que beneficia os condutores e todas as pessoas que utilizam o sistema de trânsito na capital. São mudanças positivíssimas. O que acontece é que temos uma enxurrada de novos veículos no trânsito e isso exige mudanças para que os danos sejam minimizados", comenta o prefeito.

Entretanto, a opinião do prefeito não é a mesma de quem enfrenta o trânsito diariamente. O publicitário Calleb Henrique se queixa da morosidade de algumas vias e da quantidade abusiva de focos de multa, medidas específicas que facilitam a aplicação de advertências. "Nunca fui multado, mas acredito, sim, que há um exagero na aplicação de multas, e que vejo que o órgão responsável por isso toma proveito da situação, pois as multas estão exageradas. Vejo muitos sensores em lugares oportunos para aplicação de notificações. Fora isso, em diversos lugares o limite de velocidade varia muito, e isso é muito oportuno para multar alguém que passa despercebido", comenta.

Firmino rebate as críticas e afirma que as novas medidas requerem um período de ajuste, mas logo a população ficará habituada com as mudanças. "Obviamente estas alterações no trânsito não agradarão a todos e o trânsito não permite uma mudança que beneficie a todos, na verdade os ajustes são realizados para beneficiar a grande maioria e a gente sabe que uma minoria sempre se sentirá prejudicada. Mas esperamos que a grande maioria possa ser beneficiada", pontua o prefeito.

Fonte: Olegário Borges