Instalação de fábrica fortalecerá produção de energia eólica no PI

A empresa pretende se instalar em dois municípios

Com a expectativa de ser a primeira fábrica de torres de energia eólica no estado do Piauí, a empresa Acciona apresentou, nessa terça-feira (1º), o projeto de produção ao Governo do Estado do Piauí. A iniciativa tem como objetivo a fabricação e comercialização de torres eólicas, que dará suporte a outras empresas que já comercializam energia renovável gerada pelo vento.

Image title

A empresa pretende se instalar nos municípios de Lagoa do Barro e Queimada Nova, com projeto para atender outras cidades da região. “A perspectiva da Acciona é de abrir uma fábrica que seja o dobro das demais, que sai de uma produção de duas torres a cada 15 dias e irá passar para quatro torres no mesmo período. Com a instalação, serão empregados, de imediato, 500 pessoas e posteriormente mais mil”, destaca Lucile Moura, diretora de Atração para Investimentos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet).

Lucile acrescenta ainda que a fábrica já atende a Casa dos Ventos, na Bahia, levando torres de uma indústria que fica localizada no Rio Grande do Norte, andando em torno de mil quilômetros e que, com a sua instalação no Piauí, esse percurso será reduzido pele metade do que se é executado, tornando-se o melhor acesso.

Para a instalação da Acciona, a Sedet, por meio da Diretoria de Atração para Investimentos, irá criar um protocolo de intenções para saber as requisições da empresa, bem como o acesso a água, estrada, rede elétrica, hotelaria, mão de obra qualificada para a fábrica de torres e concreto, operação e manutenção, entre outros.

“Como fala o governador, esse é um projeto que deixa de ser da empresa e passa a ser do Governo do Estado do Piauí. E o nosso papel é acompanhar a implantação dessas ações. É um empreendimento que muito nos agrada, já que é o primeiro empreendimento que faz parte do implemento das fontes de energias renováveis como a eólica, porque a gente tem a produção de energia, mas tudo vem da Bahia e agora produziremos aqui com essa empresa”, finalizou a diretora da Sedet.

Fonte: Com informações do Portal do Governo