Insuficiência cardíaca é lembrada hoje no Dia Mundial do Coração

A insuficiência cardíaca pode ser classificada como aguda, crônica e congestiva.

Hipertensão, diabetes, tireóide, excesso de peso, tabagismo e bebida alcoólica. Todos esses fatores podem estar relacionados às causas que dificultam o bombeamento do sangue para os órgãos do corpo humano, o que pode desencadear em problemas graves, a exemplo da insuficiência cardíaca (IC). No Dia Mundial do Coração, 25 de setembro, especialistas recomendam aos homens e mulheres que possuem alguma dessas doenças a buscarem acompanhamento periódico de um cardiologista e endocrinologista.

A insuficiência cardíaca pode ser classificada como aguda, crônica e congestiva. Geralmente surge por meio de falhas no ventrículo esquerdo. Os sintomas são falta de ar quando a pessoa está deitada, inchaço no coração, pernas ressecadas pela manhã e inchadas durante a noite. O cardiologista e especialista em Ecocardiograma Transtorácico Adulto e Pediátrico, Dr. Júlio César Ayres Ferreira, explica que, na IC, o sangue que circula no coração e pelos tecidos do corpo diminui, ocorrendo assim a queda de oxigênio nos tecidos.

?Com o baixo fluxo sanguíneo, os rins falham na eliminação da água, do sal e das impurezas do sangue. Assim, eles retêm ainda mais o líquido do corpo, o que provoca inchaço nas veias dos membros inferiores?, pontua o cardiologista.

O resultado disso é que, o volume elevado e a retenção do líquido deixa o coração sobrecarregado provocando o aumento dos batimentos cardíacos. Com o inchaço o líquido e o equilíbrio das veias de dentro e fora se alteram, o que faz o líquido, que normalmente está na corrente sangüínea, vazar no tecido vizinho. È justamente esse vazamento, que provoca a redução do fluxo sangüíneo contínuo e o fluxo reverso do sangue, sendo um dos principais fatores responsáveis pelo edema pulmonar (acúmulo de líquido nos pulmões) e pelo inchaço do abdômen e das pernas.

?É comum o portador de insuficiência cardíaca sentir-se cansado e sem fôlego depois de atividades rotineiras, como caminhar, subir escadas e até simplesmente vestir-se. A alta pressão de líquido na circulação do pulmão é um dos principais fatores para a ocorrência desses ataques de falta de ar e de tosse ao deitar-se?, destaca o especialista Júlio César Ayres.

Existem doenças que alteram o ritmo do coração, que também podem levar a insuficiência cardíaca, dentre elas estão à Arritmia Cardíaca e a Doença de Chagas, conhecida popularmente como a doença do coração grande. Este é o caso do aposentado José Francisco das Chagas, de 65 anos, que é portador de IC e como agravante possui várias dessas doenças. ?Recentemente passei por uma cirurgia de risco, de hérnia abdominal e tive muito medo, pois além de eu ter insuficiência cardíaca congestiva sou diabético e hipertenso, e ainda estou acima do peso?, declara o senhor José Francisco.

O especialista Júlio César Ayres enfatiza que a insuficiência cardíaca congestiva pode ser conseqüência da falha do coração de relaxar corretamente. Sendo mais comum em pacientes mais velhos e em pessoas com hipertensão, esse tipo de problema, é chamado de disfunção diastólica.

Fonte: edição portal Meio Norte