Caso Kiss: músicos da Gurizada Fandangueira depõem nesta 5º

Caso Kiss: músicos da Gurizada Fandangueira depõem nesta 5º

Ao todo, 48 sobreviventes já foram ouvidos no processo criminal.

Serão retomados nesta quinta-feira (1º) os depoimentos do processo criminal sobre a tragédia na boate Kiss, em Santa Maria, que resultou em 242 mortes. Dois membros da banda Gurizada Fandangueira serão ouvidos na Comarca de Rosário do Sul, também na Região Central do estado.

O baterista Eliel Bagesteiro de Lima e o guitarrista Rodrigo Lemos Martins vão relatar à juíza Juliana Tronco Cardoso o que viram na noite da tragédia. Segundo as investigações, o incêndio na danceteria começou com uma apresentação pirotécnica durante o show do grupo. Os depoimentos estão marcados para iniciar às 9h.

Desde junho, sobreviventes do incêndio participam das oitivas do processo criminal. Eles foram indicados pelo Ministério Público e assistência de acusação como vítimas no processo. Até agora, 48 clientes e ex-funcionários da boate já prestaram depoimento.

Na próxima semana, o juiz responsável pelo caso, Ulysses Louzada, vai revisar o processo, que tem pelo menos 48 volumes. ?Não sei estimar quanto tempo vai demorar a revisão. São muitos volumes. Além disso, estou esperando as precatórias?, disse.

Outra audiência já está marcada para 19 de agosto em Porto Alegre. A expectativa é de que outra vítima seja ouvida, assim como o gerente da casa noturna, Ricardo de Castro Pasche, que está morando na capital gaúcha.

Ricardo é considerado uma das vítimas mais importantes do processo e teve seu nome repetido diversas vezes por ex-funcionários da boate durante as primeiras audiências em Santa Maria. Ele chegou a ser indiciado por homicídio pela Polícia Civil, mas a denúncia foi arquivada pelo MP.

A tendência é que o juiz faça um novo cronograma para colher o depoimento de pelo menos mais 60 vítimas, cujos nomes foram indicados pelos advogados de defesa de dois dos quatro réus. Ainda de acordo com Louzada, uma reconstituição do incêndio deve ser feita até o final do ano.

Fonte: G1