Acusado de atentado em Boston deixou uma mensagem em barco

Acusado de atentado em Boston deixou uma mensagem em barco

A nota resumia a ideia de que "quando você ataca um muçulmano, você ataca todos os muçulmanos".

O acusado do atentado na Maratona de Boston Dzhokhar Tsarnaev, que foi encontrado escondido em um barco após as explosões, deixou uma mensagem escrita à mão descrevendo o ataque como uma resposta a guerras dos EUA em países muçulmanos, informou a CBS News nesta quinta-feira.

A informação da CBS News, citando fontes anônimas, disse que Tsarnaev usou uma caneta para escrever a mensagem em uma parede interior do barco, onde a polícia o encontrou sangrando por ferimentos de bala, quatro dias após o atentado de 15 de abril.

A nota resumia a ideia de que "quando você ataca um muçulmano, você ataca todos os muçulmanos", segundo a CBS News.

A CBS News não esclareceu como suas fontes souberam da mensagem, e a Reuters não pôde confirmar a informação imediatamente.

Katherine Gulotta, porta-voz do FBI em Boston, se recusou a confirmar ou negar a notícia.

A reportagem da CBS News disse que Tsarnaev, 19 anos, descreveu como "um mártir" seu irmão mais velho e também suspeito Tamerlan Tsarnaev, 26 anos, que morreu em um tiroteio com a polícia.

"Basicamente, a mensagem diz ... o atentado foi uma represália pelos crimes dos Estados Unidos contra os muçulmanos em lugares como Iraque e Afeganistão, e que as vítimas do atentado em Boston foram "danos colaterais", da mesma forma que as vítimas inocentes foram danos colaterais nas guerras dos EUA ao redor do mundo", disse o repórter da CBS News John Miller, que é um ex-porta-voz do FBI.

O atentado na linha de chegada da maratona mundialmente famosa deixou três pessoas mortas e outras 264 feridas. O FBI identificou os irmãos de origem chechena como suspeitos a partir de vídeos e fotos feitos no local.

Dzhokhar Tsarnaev foi preso em Watertown, Massachusetts, em 19 de abril, depois de uma caçada de um dia. Ele está detido no hospital de uma prisão a oeste de Boston e enfrenta acusações que podem levar à pena de morte se for condenado.

Fonte: Terra