Acusado de manter três mulheres em cativeiro ajudou procurar vítima presa

Ariel Castro também ajudou a confortar a mãe da adolescente

Dono da casa onde três mulheres eram mantidas em cativeiro há cerca de uma década em Cleveland, no estado de Ohio (EUA), Ariel Castro, de 52 anos, era amigo da família de uma das vítimas e ajudou, inclusive, a procurá-la quando ela desapareceu.

Quando Gina DeJesus sumiu em 2004 aos 14 anos, Ariel Castro também confortou a mãe da adolescente. Segundo Khalid Samad, amigo da família de Gina DeJesus, Ariel chegou a cantar uma música em uma festa beneficente realizada para lembrar a jovem.

"Quando saímos para procurar Gina, ele ajudou a distribuir panfletos", disse Samad. "Ele era amigo da família", destacou.

Por isso, vizinhos e amigos ficaram surpresos com a prisão de Ariel e seus dois irmãos, Pedro, de 54, e Onil, de 50, depois que uma das mulheres mantidas no cativeiro, Amanda Berry, conseguiu fugir e chamar a polícia.

Gina, Amanda e Michele Knight eram mantidas no cativeiro. Amanda Berry tinha desaparecido em abril de 2003, quando tinha 16 anos. Já Michele Knight desapareceu aos 21 anos, no dia 23 de agosto de 2002, depois de visitar uma prima.

As três mulheres foram dadas como mortas pelas autoridades, devido ao tempo de desaparecimento. A mãe de uma delas chegou a acreditar que a filha havia sido traficada como escrava.

Ariel Castro e seus irmãos, Pedro e Oneil, que foram presos acusados pelo sequestro das três mulheres, serão interrogados por uma equipe conjunta da polícia de Cleveland e agentes do FBI nesta quarta-feira (8).

Fonte: G1