Acusado diz que matou mulher queimada em elevador por causa de dívida de US$ 2 mil

Acusado diz que matou mulher queimada em elevador por causa de dívida de US$ 2 mil

O homem a molhou com combustível usando um borrifador e depois atirou um coquetel Molotov para iniciar o fogo

O acusado de assassinar uma mulher queimada em um elevador em Nova York, Jerome Isaac, afirmou que a vítima lhe devia US$ 2 mil por um trabalho que ele efetuou, segundo um porta-voz da polícia de Nova York nesta segunda-feira (19).

No sábado (17), a americana Deloris Gillespie, de 73 anos, foi encurralada por um homem dentro do elevador, molhada com combustível e posta em chamas quando chegava ao seu apartamento, no bairro do Brooklyn. Duas câmeras de segurança filmaram o ocorrido.

A polícia prossegue com as investigações. Isaac foi acusado de homicício em primeiro e segundo grau e de provocar um incêndio de maneira voluntária.

Segundo as autoridades, o homem se entregou durante a noite de sábado (17) dizendo ser o autor do crime. Oficiais afirmaram que ele estava cheirando a gasolina quando entrou no posto policial. A princípio, seu nome não foi informado, mas a polícia divulgou na tarde de domingo (18) que o nome do acusado é Jerome Isaac, de 47 anos, também morador do Brooklyn.

A vítima era Deloris Gillespie, de 73 anos. Segundo Paul Browne, um porta-voz da polícia de Nova York, Gillespie estava dentro do elevador subindo até seu andar, mas, ao chegar, o homem estava esperando-a em frente à porta.

O homem a molhou com combustível usando um borrifador e depois atirou um coquetel Molotov para iniciar o fogo. "O que aparenta é que ele sabia que ela estava no elevador", disse Browne no sábado.

O ataque ocorreu por volta das 16h locais (19h em Brasília) e durou cerca de um minuto. Duas câmeras do circuito de segurança registraram o crime, incluindo uma dentro do elevador.

A polícia divulgou no sábado imagens retiradas do vídeo, que mostram o assassino usando uma jaqueta preta e o que aparentam ser luvas cirúrgicas, além de uma máscara branca que não tapava sua face, estava erguida sobre sua cabeça.

Vizinhos chamaram os bombeiros alertando sobre um incêndio, sem saber que a mulher estava dentro do elevador. A polícia esvaziou o prédio por várias horas no sábado para o início das investigações, cujos resultados prévios ainda não foram divulgados.



Fonte: G1