Agentes secretos de Obama acabam suspensos por "farra" com prostitutas

Em 2012, 12 agentes de Obama fizeram festa com prostitutas na Colômbia.

Três agentes do Serviço Secreto do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foram enviados de volta para seu país e suspensos temporariamente no último domingo (23) por curtirem uma "noitada" em Amsterdã, onde fariam a segurança do chefe de Estado quando este chegasse à Holanda, na segunda-feira (24), para uma viagem pela Europa, informaram fontes ao jornal "The Washington Post" na terça-feira (25).


Agentes secretos de Obama são suspensos por noitada em Amsterdã

Um dos agentes que deveriam fazer a segurança presidencial foi encontrado embriagado e inconsciente no domingo de manhã, em um dos corredores do hotel onde estava hospedado, relataram as fontes ao "Washington Post". Os funcionários do hotel alertaram a Embaixada dos EUA na Holanda, que por sua vez avisou a direção do Serviço Secreto.

Segundo o jornal americano, Ed Donovan, porta-voz do Serviço Secreto, confirmou que os três agentes foram enviados para casa e afastados administrativamente por razões disciplinares, enquanto o caso é investigado.

O trio suspenso fazia parte do vasto pessoal, de diferentes departamentos, que garante a segurança e acompanha o presidente americano em sua atual viagem à Europa. Se não houvesse ocorrido o incidente, os agentes em questão teriam sido convocados para uma reunião prévia no domingo para preparar a segurança necessária à chegada de Obama a Amsterdã.

Novas regras do Serviço Secreto

O incidente na Holanda viola as novas regras que o Serviço Secreto adotou após o escândalo de prostituição ocorrido em abril de 2012, durante a Cúpula das Américas em Cartagena das Índias, na Colômbia.

Naquele episódio, pelo menos 12 agentes americanos levaram prostitutas para seus quartos de hotel, antes da visita de Obama à cúpula. O fato despertou fortes críticas à cultura interna do Serviço Secreto, até então dominado por homens. Desde o ano passado, pela primeira vez, o órgão é dirigido por uma mulher, Julia Pierson.

As novas normas do Serviço Secreto americano estipulam que qualquer um de seus integrantes que estiver em viagem oficial está proibido de ingerir álcool nas dez horas anteriores ao deslocamento.

Fonte: G1