Ahmadinejad recebe arma  do chefe do Hizbollah

Ahmadinejad recebe arma do chefe do Hizbollah

O Irã é o principal aliado político e militar do Hezbollah.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, reuniu-se nesta quinta-feira (14) à noite, no Líbano, com o chefe do Hizbollah, Hassab Nasralah, ao final de uma viagem na qual pregou novamente o fim do estado hebreu.

As imagens do canal Al Manar mostraram o presidente iraniano e seu aliado no Líbano se abraçando e posteriormente conversando entre risadas.

Os dois líderes se encontraram "na embaixada do Irã em Beirute, onde falaram dos resultados da visita histórica do presidente Ahmadinejad em diferentes níveis", indicou o comunicado do Hezbollah recebido pela agência de notícias France Presse.

Posteriormente, Nasralah ofereceu ao líder iraniano "como presente e em sinal de lealdade e gratidão" um fuzil pertencente a um soldado israelense, que foi apresentado como "um despojo da guerra de 2006".

O Irã é o principal aliado político e militar do Hezbollah.

Com o encontro, Ahmadinejad pôs fim a sua polêmica visita oficial ao Líbano, que o levou a visitar hoje o sul do país, a apenas uns quilômetros de Israel, onde mais uma vez preconizou o desaparecimento do Estado hebreu: "Os sionistas vão desaparecer".

A última vez na qual os dois homens, inimigos jurados de Israel, apareceram juntos na televisão foi no dia 26 de fevereiro, por ocasião de uma conferência tripartite em Damasco com seu outro aliado, o presidente sírio Bachar al Assad.

Os movimentos de Nasralah são secretos por razões de segurança. Sua última aparição pública remonta a julho de 2008.

O presidente do Irã iniciou sua visita ao Líbano pela zona de fronteira com Israel, onde foi recebido por uma multidão em Bint Jbeil, bastião do Hizbollah na região.

Mais de 15.000 pessoas, entre homens, mulheres e crianças, se espremeram em um estádio aberto para ver Ahamdinejad, exibindo bandeiras do Irã, do Líbano e do Hizbollah.

O presidente iraniano acenou para os libaneses e fez o sinal da vitória.

Cantos escritos especialmente para o presidente, desejando-lhe "boas-vindas na terra da resistência", foram divulgados por alto-falantes.

"Bint Jbeil esta bem viva (...) eu saúdo o povo resistente", lançou Ahmadinejad, em referência à localidade duramente atingida durante os confrontos entre soldados israelenses e combatentes do Hizbollah, aliado do Irã, na guerra de 2006.

"Os sionistas vão desaparecer", afirmou em meio a aplausos. "Ficaremos a seu lado até o fim", declarou Ahmadinejad em árabe; o restante do discurso foi pronunciado em farsi.

A visita de Ahmadinejad ao Líbano foi criticada pela maioria parlamentar desse país, assim como pelos Estados Unidos e por Israel, que acusam Teerã de fornecer armas ao Hizbollah, o movimento político e militar mais poderoso do país.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br