"Apagão" dos EUA pode levar a crise pior do que a Grande Recessão

Departamento do Tesouro dos EUA afirma que economia pode mergulhar em crise pior do que Grande Recessão se Congresso não elevar endividamento

A diretora-gerente do Fundo, Christine Lagarde, disse nesta quinta-feira que a solução para o impasse é uma "missão crítica". Ecoando Barack Obama, ela afirmou que a questão da elevação do teto da dívida pode levar a mais problemas que o fechamento atual, de acordo com a BBC.

O Departamento do Tesouro dos EUA também emitiu alerta afirmando que a economia poderia mergulhar em uma crise pior do que a Grande Recessão se o Congresso não elevar o limite de endividamento federal e os níveis de obrigações de endividamento do país.

O relatório do Tesouro diz que um default poderia congelar o mercado de crédito do país, derrubar o valor do dólar e disparar as taxas de juros dos Estados Unidos.

Funcionários do Tesouro esperam que ao informarem potenciais consequências sejam capazes de exercer pressão sobre o Congresso. O secretário do Tesouro Jacob Lew disse que vai tentar usar medidas extraordinárias para evitar ultrapassar o teto da dívida até 17 de outubro. Depois disso, o governo terá cerca de US $ 30 bilhões em dinheiro na mão.

A Casa Branca informou que não acredita que a Constituição dos Estados Unidos dê ao presidente uma válvula de escape para evitar um calote da dívida norte-americana se o Congresso não elevar o limite da dívida antes de ele seja alcançando em duas semanas.

- Esse governo não acredita que a 14ª Emenda dê ao presidente poder para ignorar o teto da dívida - disse o porta-voz da Casa Branca Jay Carney em um briefing.- Mais do que isso, mesmo que o presidente pudesse ignorar o teto da dívida, o fato de que há uma significativa controvérsia sobre a autoridade do presidente para agir unilateralmente significa que não seria uma alternativa de credibilidade à elevação do teto da dívida pelo Congresso - acrescentou.

Departamento do Tesouro dos EUA afirma que economia pode mergulhar numa crise pior do que a Grande Recessão se o Congresso não elevar o limite de endividamento federal.

Fonte: Globo