Atirador que matou 12 em prédio da Marinha agiu só, diz polícia

Atirador que matou 12 em prédio da Marinha agiu só, diz polícia

Alexis foi morto no local ao atirar contra um agente de segurança, de acordo com informações da polícia.

A polícia de Washington (EUA) afirmou nesta segunda-feira (16) que Aaron Alexis, 34, é o único responsável pelas mortes de 12 pessoas em uma base naval em Washington DC. Mais cedo, a polícia chegou a falar em outro suspeito. Alexis foi morto no local ao atirar contra um agente de segurança, de acordo com informações da polícia.

"Não temos qualquer prova ou indício, neste momento, de que houve um segundo atirador, apesar de não descartarmos isto completamente", disse o prefeito de Washington, Vincent Gray.

Segundo a chefe da polícia de Washington, Cathy Lanier, avança a hipótese de "que temos apenas uma pessoa como responsável pela perda de vidas na base. Mas se algo mudar durante a investigação, sem dúvida colocaremos à disposição do público".

Suspeito serviu na reserva da Marinha dos EUA

Nascido no Brooklyn, em Nova York, e morador de Fort Worth, no Estado do Texas, Alexis era um ex-prestador de serviços das Forças Armadas dos EUA e teria servido na reserva da Marinha entre maio de 2007 a janeiro de 2011, segundo agências de notícias.

O FBI pede qualquer tipo de informação sobre o suspeito.

"Nós queremos aprender tudo o que pudermos sobre suas ações mais recentes", disse Valerie Parlave, assistente de direção do FBI.

Frequentador de templo budista

Segundo reportagem do jornal "The Washington Post", Alexis ia com frequência a um templo budista em Fort Worth e falava tailandês, assim como outros frequentadores. Ele também trabalhava como garçom em um restaurante de comida tailandesa.

Duas vezes por semana, Alexis fazia meditação no centro Wat Busayadhammavanaram, onde se mostrava uma pessoa gentil.

"Eu não achava que ele podia ser tão violento", disse J. Sirun, assistente dos monges no centro. "Não teria me surpreendido se soubesse que ele se suicidou, mas não pensava que ele pudesse cometer assassinato."

Mau comportamento e prisão em 2004

Em 2011, após uma série de problemas relacionados a mau comportamento, Aaron Alexis teria sido exonerado da reserva da Marinha, segundo informações de um oficial à agência Reuters.

A fonte, que falou sob condição de anonimato, não informou especificamente quais problemas levaram ao desligamento.

Em maio de 2004, Alexis foi detido em Seattle, no Estado de Washington, após atirar nos pneus de um carro estacionado, em um momento de fúria.

As vítimas, dois trabalhadores da construção civil, disseram à polícia que Alexis saiu de uma casa nas proximidades, tirou uma pistola de sua cintura e disparou três tiros nos pneus traseiros do veículo. A alegação de Alexis para o descontrole foi ter sido desrespeitado pelos homens.

Registros da Justiça indicam que ele foi liberado sob a condição de não manter contato com os trabalhadores.

Nesta segunda, a polícia de Seattle divulgou que detetives falaram depois com o pai de Alexis, que informou que o filho tinha problemas relacionados ao controle da raiva. (Com "Washington Post" e agências de notícias)

Fonte: UOL