Ativistas do Femen presas na Tunísia defendem topless em protesto

Duas francesas e alemã são julgadas e podem pegar 6 meses de prisão.

Três militantes europeias do grupo Femen defenderam sua atuação nesta quarta-feira (12) durante seu julgamento duas semanas depois de terem sido detidas durante uma manifestação de topless, incidente pelo qual poderão pegar seis meses de prisão.


Ativistas do Femen presas na Tunísia defendem topless em protesto

As acusadas, duas francesas e uma alemã, explicaram que o objetivo de sua manifestação era apoiar Amina Sboui, uma militante tunisiana da Femen também presa.

"Expor nosso peito não é para criar excitação sexual e sim se trata de uma forma de militância", declarou uma das francesas, que enfrentam acusação de ato de perversão, segundo a lei muçulmana.

Segundo os advogados da Femen, enquanto o julgamento durar, a prisão preventiva das acusadas poderá durar até 14 meses.

As três foram detidas em 29 de maio depois de se manisfestarem com os seios de fora em solidariedade com a feminista Amina Sboui, 18 anos e presa dez dias antes por publicar fotos suas também de topless em desafio ao extremismo salafista.

Fonte: G1