Avião não-tripulado dos EUA mata sete militantes no Paquistão

No entanto, as autoridades americanas consideram que esses ataques são muito importantes para que não sejam mais efetuados

Um avião americano sem piloto matou neste domingo pelo menos sete militantes islamitas no Paquistão, segundo fontes oficiais, dias antes da visita do chefe do serviço de inteligência paquistanês a Washington, onde provavelmente abordará estes polêmicos ataques.

Os bombardeios dos aviões teleguiados americanos são muito criticados no Paquistão, cujas autoridades afirmam que essas aeronaves violam sua soberania e alimentam o ódio aos Estados Unidos. No entanto, as autoridades americanas consideram que esses ataques são muito importantes para que não sejam mais efetuados.

É muito provável que o diretor do serviço de inteligência paquistanês (ISI), tenente-general Zaheer ul Islam, se reúna em Washington com o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), general David Petraeus, durante sua passagem pelos Estados Unidos de 1º a 3 de agosto.

No ataque deste domingo, o segundo realizado durante o mês de jejum muçulmano do Ramadã, vários mísseis caíram sobre casas na aldeia de Khushhali Turikhel, no turbulento distrito tribal do Waziristão do Norte, na fronteira com o Afeganistão.

"Aviões teleguiados americanos dispararam seis mísseis contra um complexo de militantes. Pelo menos sete militantes morreram", declarou à AFP uma autoridade da segurança.

Altos funcionários locais dos serviços de inteligência confirmaram este ataque e o número de mortos.

Khushhali Turikhel fica localizada 35 km leste de Miranshah, principal cidade do Waziristão do Norte, uma região considerada um reduto dos militantes islamitas.

Fonte: G1