Bahrein tem novos confrontos antes de treino da Fórmula 1

Vários jovens queimaram pneus nas estradas que levam às suas aldeias e jogaram coquetéis molotov e pedras contra a polícia.

Dezenas de manifestantes entraram em conflito durante a noite desta sexta-feira (20) contra as forças anti-motim em várias aldeias xiitas perto do circuito de Sakhir, onde será realizado no domingo (22) o Grande Prêmio do Bahrein de Fórmula 1.

De acordo com opositores ao governo de Hamad bin Isa AL-Khalifa, um manifestante foi encontrado morto na manhã deste sábado (21). Alguns manifestantes estavam usando capuzes e outros levavam cartazes que se lia "Eu sou o próximo mártir".

Vários jovens queimaram pneus nas estradas que levam às suas aldeias e jogaram coquetéis molotov e pedras contra a polícia, que por sua vez, usou gás lacrimogêneo e bombas de som.

Os manifestantes gritavam slogans hostis ao governo, dizendo: "Abaixo Hamad!", referindo-se ao rei do Bahrein. Não há informações de pessoas feridas.

A oposição pede reformas constitucionais neste pequeno reino do Golfo governado por uma dinastia sunita, cuja maioria xiita se queixa de discriminação.

Quinta-feira de protestos

Dezenas de manifestantes responderam na noite de quinta-feira (19) a uma convocação do movimento "Jovens de 14 de fevereiro", que prometeu um "dia de fúria", e se reuniram nas localidades xiitas ao redor de Manama.

A crise política chegou a cancelar a edição de 2011 do GP, e a confirmação da edição deste ano só ocorreu na semana passada.

Em nota, as autoridades disseram que "alguns perturbadores e vândalos foram detidos por tomarem parte de comícios e reuniões ilegais, bloquearem estradas e ameaçarem a vida das pessoas ao atacá-las com bombas de gasolina, barras de ferro e pedras".

A oposição diz que 95 organizadores dos protestos foram detidos em ações policiais noturnas na última semana, e que 54 pessoas ficaram feridas nos protestos. A polícia não apresentou cifras de presos e feridos.

Fonte: G1