Bando faz roubo de diamantes avaliados em US$ 50 mi em aeroporto

Carga de mais de US$ 50 milhões ia ser enviada para Zurique, na Suíça

Um grupo de homens fortemente armados atacou na noite de segunda-feira um caminhã em plena pista do aeroporto de Bruxelas que transportava diamantes avaliados em US$ 50 milhões (mais de R$ 98 milhões), segundo o Centro Mundial de Diamantes, com sede na Antuérpia, que representa o setor.


Bando faz roubo de diamantes avaliados em US$ 50 mi no aeroporto

"Eram diamantes brutos e lapidados procedentes da Antuérpia e que seguiriam para Zurique, na Suíça", afirmou um porta-voz à France Presse ao comentar um dos "maiores roubos de diamantes da história".

Mais cedo, um canal de televisão belga informou sobre a ação de um grupo de homens fortemente armados na segunda-feira contra um caminhão de transporte no aeroporto de Bruxelas.

O automóvel transportaria diamantes avaliados em 350 milhões de euros, segundo o canal.

Os criminosos atacaram o caminhão em plena pista do aeroporto no momento em que agentes retiravam os diamantes para enviá-los à Suíçaa bordo de um avião comercial da Helvetic Airlines.

"Estamos diante de um roubo minuciosamente preparado por profissionais", declarou Ine Van Wymeersch, porta-voz do Ministério Público de Bruxelas.

"Oito homens fortemente armados com fuzis e metralhadoras, encapuzados e com uniformes da polícia, atravessaram pouco antes das 20h (16h de Brasília) as barreiras do aeroporto e entraram a toda velocidade na pista. Seguiram até o avião comercial que viajaria para a Suíça", completou a porta-voz.

Os dois carros fugiram após o assalto e um deles foi encontrado mais tarde, disseram autoridades, que não informaram o conteúdo da carga roubada no aeroporto.

A ação criminosa não deixou feridos e não foram disparados tiros.

Os passageiros já estavam a bordo do avião no momento do ataque.

Segundo o site do aeroporto, o avião seria um Fokker 100 com capacidade para 100 passageiros.

"O avião não decolou e os passageiros não perceberam ou viram nada", disse Van Wymeersch.

Segundo o jornal belga "Het Laatste Nieuws", as autoridades acreditam que os criminosos contavam com cúmplices dentro do aeroporto.

Fonte: G1