Bebê com anomalia rara é salva após sofrer com pouco oxigênio

Após uma bateria de testes, ela foi diagnosticada com um defeito extremamente raro no coração

Uma recém-nascida que estava próxima da morte por ter seu corpo privado de oxigênio foi salva graças ao instinto de sua mãe. A britânica Kelly Crow levou sua filha de três semanas ao hospital depois de perceber um tom azulado nas mãos e pés da pequena Kaci. Após uma bateria de testes, ela foi diagnosticada com um defeito extremamente raro no coração e foi levada às pressas para uma sala de cirurgia. As informações são do Daily Mail.

"Ela apresentava mãos e pés azulados com frequência. Eu sabia que algo definitivamente não estava certo", afirmou Kelly. Desde o nascimento de sua filha, ela acreditava que havia algo de errado, mas os médicos a tranquilizaram afirmando que ficariam atentos ao progresso da saúde de Kaci.

Quando levou sua filha para casa, a mãe começou a ficar mais preocupada. "Ele não se alimentava, então comecei a temer que fosse algo mais grave", afirmou ela, que tem ainda outros três filhos. Ela levou a filha mais nova ao hospital mais uma vez quando ela tinha três semanas de vida. Depois de passar por testes de sangue, raio-x e ecocardiograma, Kaci foi diagnosticada com drenagem anômala total de veias pulmonares, uma anomalia congênita rara que afetou apenas seis crianças no Reino Unido na última década.

Essa é uma doença cardiovascular caracterizada pela entrada das veias pulmonares do lado errado do coração, afetando a maneira como o sangue repleto de oxigênio é bombeado pelo corpo. "Ao invés de o sangue ir para os pulmões, fígado e rins, ele apenas passava pelos pulmões e ela estava sendo privada de oxigênio", disse Kelly Crow.

Médicos de um hospital de Southampton especializado em cirurgias cardíacas infantis cortaram um dos ventrículos do coração de Kaci para corrigir o fluxo sanguíneo. O procedimento foi considerado um sucesso, e a criança foi liberada para voltar para casa dentro de nove dias.

Fonte: Terra