Bebê que nasceu com coração para fora do peito passa bem

Bebê também nasceu com o fígado e intestino para fora do corpo

Em novembro de 2014, o casal Brian e Caitlin iam, finalmente, saber o sexo de seu primeiro filho. Porém, a maior surpresa não foi saber se era menino ou menina, mas descobrir que o coração do bebê estava se desenvolvendo para fora do peito.

A pequena Kieran Veitz também estava crescendo com o fígado e intestino para fora do corpo. A rara condição fez com que, logo após o nascimento, já fosse levada para sala de cirurgia. Seus pais nem mesmo tiveram a chance de vê-la.

Apesar de toda preocupação inicial e da espera para o tão esperado encontro com a filha, hoje, os pais podem comemorar cada conquista de Kieran, que já está até aprendendo a falar. “Até seu médico está surpreendido com seu progresso. Na última consulta, ele disse que não sabia como ela estava fazendo isso”, contou Caitlin em entrevista ao site Daily Mail.

Kieran precisou ser levada rapidamente para cirurgia (Crédito: Daily Mail)
Kieran precisou ser levada rapidamente para cirurgia (Crédito: Daily Mail)

Para que fosse possível recolocar os órgãos para dentro do corpo, os médicos de uma clínica especializada em Minnesota, Estados Unidos, criaram uma reprodução em 3D do feto para conseguir entender melhor o quadro da criança. 

Dr. Joseph Dearani afirmou que Kieran foi um dos casos mais raros de coração para fora do tórax que ele já viu, se não o mais raro.

Foram necessários 60 médicos de 12 equipes diferentes para estabilizar e operar a criança após o nascimento. “Foi uma das coisas mais difíceis. Eu não a vi quando ela nasceu. Precisei falar aos médicos para só levá-la o mais depressa possível para dá-la a melhor chance”, afirmou Caitlin.

Kieran só pôde ir para casa com seis meses. Hoje, após um ano da bebê ter saído do hospital, seus pais sabem que ela ainda vai precisar passar por outros procedimentos cirúrgicos ao longo da vida, mas podem comemorar o progresso da filha.

“Agora, nós temos uma filha feliz e maravilhosa. Kieran tem consultas regulares no hospital, mas está crescendo tão bem que não precisa de nada urgente”, disse a mãe. “Somos tão agradecidos pelos médicos terem a salvado porque sabemos que muitos bebês que nascem com a mesa condição não sobrevivem.”


Fonte: iG