Berlusconi pode deixar o governo após debate no Parlamento

O premiê italiano, Silvio Berlusconi, vai decidir nesta terça-feira se continua à frente do governo ou apresenta sua renúncia


Berlusconi decidirá se renuncia após saber se tem apoio no Parlamento

O premiê italiano, Silvio Berlusconi, vai decidir nesta terça-feira se continua à frente do governo ou apresenta sua renúncia. Ele tomará a decisão após saber com quantos deputados pode contar no debate do novo projeto de lei com as contas do Estado. A discussão começa às 15h30 (12h30 de Brasília).

A imprensa italiana publicou nesta terça que Berlusconi "quer ver com seus próprios olhos quem são os traidores". A afirmação foi feita na segunda-feira à noite após uma reunião com os membros de seu partido.

No início de outubro, o governo não conseguiu aprovar o texto. Isso obrigou Berlusconi a comparecer à Câmara Baixa para submeter sua administração a uma moção de confiança, que foi aprovada por pouco.

A votação de agora será um teste importante para Berlusconi. A imprensa italiana afirmou que cerca de 20 deputados da base aliada viraram as costas ao premiê. Apesar disso, o que se fala é que não haverá problema para a aprovação do projeto. A oposição está pensando em abster-se de uma ação de responsabilidade nacional, como pediu o chefe do Estado, Giorgio Napolitano, já que a não aprovação das contas significaria a paralisia total do país.

Após 3h de reunião na segunda-feira à noite, o único a falar foi o ministro da Defesa, Ignazio La Russa. Ele garantiu que a votação desta terça comprovará que o Executivo ainda tem maioria.

Em um discurso durante um ato político, Berlusconi afirmou que ele e seu governo não estão "presos à cadeira" e disse que espera obter a confiança majoritária do Parlamento para continuar em frente e fazer as reformas econômicas como exige a União Europeia (UE).

Sobre a decisão de Berlusconi também pesa o comportamento da Bolsa de Valores de Milão, que nesta terça será observada com atenção. Na segunda-feira, após os rumores da renúncia, as operações passaram para o positivo e subiram. Ao desmentir que deixaria o governo, Berlusconi inverteu o processo e o prêmio de risco do país voltou a subir.

Fonte: Época