Bombardeio atinge escola na Síria e mata 9 pessoas, entre elas 5 crianças

Segundo a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, o ataque dos caças do governo atingiu o colégio Jamil Qabbani, no bairro Al Ansari, e também deixou vários feridos.

 Pelo menos nove pessoas, entre elas cinco crianças, morreram neste domingo em um bombardeio de aviões das forças armadas da Síria que atingiu uma escola na cidade de Aleppo, a maior do norte do país.

Segundo a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, o ataque dos caças do governo atingiu o colégio Jamil Qabbani, no bairro Al Ansari, e também deixou vários feridos.

"Aviões militares bombardearam uma escola no leste da cidade de Aleppo e mataram cinco crianças, três professoras e um homem", afirmou Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH, à France Presse. De acordo com Rahman, o balanço, no entanto, pode aumentar porque o ataque deixou muitos feridos em estado grave.

 O OSDH também informou a morte de uma criança em uma ataque aéreo do governo contra o bairro de Sheikh Jodr em Aleppo, controlado por forças rebeldes. Outras crianças também teriam ficado feridas. Aviões do regime de Bashar al Assad efetuaram ainda outros ataques nos bairros de Al Bayada e Masaken Hanunu, mas até o momento não há informação de vítimas.

Aleppo é alvo desde sábado de bombardeios das forças governamentais, assim como do impacto de mísseis disparados por grupos rebeldes. A ONG revelou hoje que 35 pessoas morreram no sábado nestes episódios, 15 delas em um ataque da força aérea Síria que atingiu um mercado popular do bairro Al Madi, de acordo com a EFE.

Aleppo foi palco de uma grande ofensiva de opositores de Assad no final de julho de 2012 e de outras grandes operações posteriores, o que lhes permitiu dominar amplas áreas da cidade, embora não tenham conseguido assumir seu controle total.

O conflito que assola a Síria há quatro anos deixou 220 mil mortos, segundo os dados mais recentes da ONU.  No sábado, 35 pessoas morreram nos bombardeios e ataques em Aleppo, a segunda maior cidade da Síria e antigo centro econômico do país.

Aleppo está dividida entre um setor ocidental controlado pelo regime e uma área oriental nas mãos dos rebeldes. A aviação do governo lança diariamente barris de explosivos contra setores rebeldes, enquanto os insurgentes usam obuses contra bairros controlados pelo regime do presidente Bashar al-Assad.

Desde o início do conflito sírio em 2011, mais de 215.000 pessoas morreram, de acordo com o OSDH.

Fonte: G1