Candidato a vice de Romney é contra aborto até em estupro

Candidato a vice de Romney é contra aborto até em estupro

Em 1995, Paul Ryan co-patrocinou um projeto de lei que definia óvulos fertilizados como seres vivos.

Com o intuito de agradar a parcela mais conservadora do eleitorado norte-americano, o pré-candidato do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos, Mitt Romeny, anunciou neste sábado (11/08) Paul Ryan como seu companheiro de chapa. Famoso por ser um feroz inimigo dos gastos públicos e defender a privatização o programa de aposentadorias do governo, Ryan era a escolha favorita do Tea Party.

No entanto, pouca atenção foi dada nessas semanas anteriores ao anúncio de Romney -- quando o nome de Ryan já era cotado --, que o congressista do Wisconsin é também um anti-abortista radical, defendendo a criminalização até em casos de estupro, incesto e risco de saúde da mãe. Para ele, a interrupção da gravidez em qualquer circunstância deveria ser ilegal, conforme informa o site Daily Beast.

Ryan co-patrocinou um projeto de lei que definia óvulos fertilizados como seres vivos que, caso passasse no Congresso, criminalizaria algumas formas de contracepção -- como a pílula do dia seguinte -- e de fertilização in vitro. A organização anti-aborto Comitê Nacional pelo Direito à Vida definiu seu desempenho como 100% em votações relacionadas ao tema no Congresso, desde que ele ingressou, em 1999. "Sou pró-vida até a alma", disse Ryan à publicação conservadora Weekly Standard?s em 2010. "Vocês não terão trégua", avisou o agora candidato a vice de Romney aos apoiadores do aborto.

Biografia

O congressista nasceu e cresceu em Janesville, Wisconsin, onde ainda mora com a esposa e os três filhos. Seu pai morreu quando ele ainda estava no colégio, o que fez de Ryan um jovem introspectivo, voltado para os livros. "Cresci muito rápido", disse em uma recente entrevista à revista The New Yorker.

Depois de trabalhar em 1996 para o candidato republicano à vice-presidência Jack Kemp, Ryan foi eleito para o Congresso pela primeira vez em 1998, aos 28 anos. Ryan, um sério e entusiástico "falcão" fiscal que ganhou notoriedade na Câmara de Representantes com um plano orçamentário para cortar gastos, tem uma clara simpatia de conservadores influentes que desejavam para Romney um companheiro de chapa que despertasse paixões.

Ao ser apresentando como candidato por Romney, Ryan prometeu "restaurar a grandeza" dos EUA. "O alto desemprego, a queda dos recursos e o alto nível da dívida se transformaram em algo normal. E isto é o resultado de políticas equivocadas", foram as primeiras palavras do republicano, eleito representante de Wisconsin sete vezes. "Em janeiro, nossa economia vai começar a recuperação com o plano de Romney para fortalecer a classe média, o que levará a mais empregos e mais dinheiro para as casas dos trabalhadores norteamericanos."

Fonte: UOL