Clipe com beijo homossexual pode condenar cantora pop a prisão, chicotadas e até execução

Clipe com beijo homossexual pode condenar cantora pop a prisão, chicotadas e até execução

O vídeo já acumulou mais de 10 mil likes no Facebook e 120 mil visualizações no YouTube

Um das cantoras pop mais famosas do Irã, a persa Googoosh, se envolveu em uma enorme polêmica ao lançar o clipe ?Behesht?. No vídeo, imagens da cantora se apresentando para uma plateia se alternam com o de uma mulher em diversos momentos de paixão com o parceiro, que não aparece no quadro. No final da canção, é revelado que, na verdade, é uma parceira. A música, com refrão "Eu sei que eles dizem que esses sentimentos não deve ser, mas são" trata de um relacionamento gay. O homessexualismo é considerado crime.

O vídeo já acumulou mais de 10 mil likes no Facebook e 120 mil visualizações no YouTube. A cantora também tem recebido apoio de iranianos por meio de comentários em que elogiam sua postura ousada em favor do amor do mesmo sexo. Navid Akhavan , que escreveu e dirigiu o vídeo , disse ao jornal The Guardian que o clipe foi visto por muito mais gente via canais ilegais: "Os comentários que li na internet e as mensagens que tenho recebido de pessoas dentro da comunidade LGBT iraniana trouxeram lágrimas aos meus olhos", contou.

A homossexualidade é um crime punível na República Islâmica com a prisão, chicotadas, e até mesmo de execução. Como os estudos sobre acusações morais no Irã são geralmente realizadas em sessões fechadas , é difícil determinar quantos iranianos gays e lésbicas são executadas anualmente, mas organizações de direitos humanos relatam várias execuções de homossexuais como recentemente.

Googoosh já foi vítima das leis repressivas do Irã. Em 1979 , ela cumpriu pena de três meses por viver com um homem com quem não era casada. Além disso, proibições rigorosas para cantoras fez com que ela fugisse do Irã em 2000. Googoosh ainda é um fenômeno na República Islâmica graças à venda pirata de seus discos.



Fonte: marieclaire