Cantora que desafiou marido e Talibã para continuar carreira artística é morta tiros; veja

Cantora que desafiou marido e Talibã para continuar carreira artística é morta tiros; veja

De acordo com a polícia, um dos suspeitos é o ex-marido de Javed.

A cantora pop paquistanesa que desafiou o decreto do Talibã contra suas músicas e dança foi morta a tiros depois que saiu de um salão de beleza na noite desta segunda-feira (18). Ghazala Javed, de 24 anos, foi baleada após um motociclista atirar no carro em que estava com seu pai, que também foi morto.

De acordo com a polícia, um dos suspeitos é o ex-marido de Javed. A cantora tinha supostamente pedido o divórcio depois de descobrir que ele tinha outra esposa. O divórcio é um pedido incomum em uma sociedade machista e conservadora na qual muitos consideram que uma mulher que toma essa decisão é uma desonra para o marido.

"Dois homens de moto encheram ela de balas antes de fugir, deixando-a em uma poça de sangue" - contou Dilawar Bangash, um alto funcionário da polícia de Peshawar. "Já estamos investigando. Este assassinato parece ter sido motivado por disputa pessoal".

Javed era popular entre os jovens pashtus no noroeste do Paquistão. De acordo com a CNN, ela foi atingida com seis balas. Segundo o oficial de polícia paquistanesa, Imtiaz Altaf, o Talibã não está envolvido com a morte.

No ano passado, Javed foi assunto na imprensa local quando deixou o marido para viver na casa de seu pai após seis meses de casamento com o empresário Jahangir Khan, que tentou proibi-la de continuar na carreira artística. Anos atrás, outra cantora popular, Ayman Udas, foi morta supostamente por sua família. Nos últimos anos, o fortalecimento do Talibã no noroeste do Paquistão tem dificultado o trabalho de bandas e cantores, já que a dança e a música são proibidas pelos extremistas.

Fonte: marie claire