Cão sobrevive após engolir 28 relaxantes musculares

A dona de Quagmire, Toni Cole, levou-o para o hospital veterinário depois de encontrá-lo desmaiado na cozinha



Um filhote de cão da raça bull terrier sobreviveu depois de engolir 28 comprimidos de um medicamento para esclerose múltipla. O filhote, chamado Quagmire, tem apenas 12 semanas de idade e engoliu os remédios, relaxantes musculares, de sua dona.

Os médicos veterinários acreditam que o animal teve muita sorte, pois apenas alguns comprimidos seriam suficientes para matá-lo.

A dona de Quagmire, Toni Cole, da cidade britânica de Staffordshire, levou-o para o hospital veterinário depois de encontrá-lo desmaiado na cozinha de sua casa. Ela notou que ele tinha mastigado um pacote de seus remédios.

"Não existe um antídoto para isto, então colocamos Quagmire no soro para ajudar a acelerar a saída das toxinas e demos a ele remédios para combater os efeitos do medicamento (que o cão ingeriu)", conta Louise Waddy, que trabalha no hospital da PDSA.

Os médicos disseram que Toni poderia esperar o pior e, mesmo que o filhote conseguisse sobreviver, ele poderia vir a ter problemas nos rins.

"Foi muito triste. Nós estávamos com ele havia apenas duas semanas, mas ele já era parte da família e a possibilidade de perdê-lo era insuportável", disse a dona do filhote.

"Meu neto de dois anos, Aaron, ficava perguntando onde o Quaggy estava. Foi tão difícil, pois não sabíamos se ele voltaria para casa", acrescentou Toni.

Dois dias

Apesar das poucas esperanças, Quagmire surpreendeu a todos e, em apenas 48 horas, já tinha se recuperado e estava pronto para voltar para casa.

No entanto, cinco dias depois, o estado de saúde do filhote sofreu complicações e ele ficou novamente doente e foi levado de volta ao hospital veterinário da PDSA.

Novamente a equipe de veterinários cuidou dele e rapidamente o filhote voltou para casa.

"Quagmire é um cachorro muito sortudo. A alta dose de comprimidos que ele comeu poderia, facilmente, ter resultado em um estado de coma ou na morte. Incrivelmente ele não parece ter sofrido nenhum dano no longo prazo, mas vamos ficar de olho só para ter certeza", disse Rachel Robinson, médica veterinária que atendeu o filhote.

Toni Cole agora mantem seus remédios longe do alcance do filhote. "Meus comprimidos eram mantidos no armário da cozinha, ele conseguiu abrir a porta e mastigar a caixa, nunca pensei que isso fosse possível. Realmente, abriu meus olhos sobre como é possível manter remédios, e outras substâncias perigosas, fora de alcance", disse.

Fonte: Terra