Cardeais começam conclave para escolher novo Papa no Vaticano

Cardeais começam conclave para escolher novo Papa no Vaticano

Eles estão fechados na Capela Sistina para eleger sucessor de Bento XVI.

Os cardeais eleitores estão fechados na Capela Sistina, no Vaticano, para iniciar os encontros do conclave em que vão eleger o sucessor do Papa Emérito Bento XVI como líder da Igreja Católica e chefe de Estado do Vaticano.

Os 115 cardeais foram da Capela Paulina para a Capela Sistina em procissão. Eles chegaram à Sistina, onde ficarão confinados até a escolha do novo Papa, às 16h30 locais (12h30 de Brasília) desta terça-feira (12).

Durante o percurso, eles cantaram litanias e oraram para que o Espírito Santo os iluminasse durante as votações.

Depois, eles prestaram juramento, com a mão sobre o Evangelho, prometendo manter segredo sobre o encontro e as votações, conforme manda a Constituição Apostólica, sob risco de excomunhão.

O mestre de cerimônias deu o comando de "Extra omnes!" (Todos para fora), e a porta da capela foi lacrada.

Uns poucos assistentes ficam dentro da capela, mas eles saem na hora da votação.

Primeira votação

A expectativa é de que a primeira votação para tentar escolher um novo pontífice, o 266º da história da Igreja, ocorra ainda nesta terça.

Mas, segundo o padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, ela provavelmente não deve definir ainda o nome do novo Papa.

Para ser eleito, um cardeal precisa ter mais de dois terços dos votos dos 115 eleitores.

A fumaça --branca, caso um novo pontífice tenha sido escolhido, e preta, após uma votação inconclusiva-- sairá da chaminé da capela depois da votação.

Se houver fumaça preta, o conclave segue então na quarta-feira, com duas votações previstas pela manhã e mais duas à tarde.

A eleição do novo Papa ocorre após a surpreendente renúncia do agora Papa Emérito Bento XVI, anunciada em 11 de fevereiro e efetivada em 28 de fevereiro, criando uma situação praticamente inédita para a Igreja moderna, em que dois Papas, um atuante e outro Emérito, devem coabitar no Vaticano.

O alemão Josef Ratzinger deixou o cargo após oito anos de um pontificado marcado por crises e divisões internas.

O cardeal brasileiro Dom Odilo Pedro Scherer é citado, pela imprensa e por analistas, como um dos favoritos para ser o novo Papa (saiba os motivos), ao lado do italiano Angelo Scola.

Fonte: G1