Gays farão "beijaço" homossexual para visita do Papa

Segundo organizadores, manifestação em frente à catedral da Sagrada Família será pacífica

Cerca de 500 casais gays planejam beijar-se em frente à catedral de Barcelona, na Espanha, durante a visita do papa Bento XVI ao país no próximo domingo (7).

Gays e lésbicas espanhóis receberão o pontífice com um "beijaço" de dois minutos assim que ele sair da catedral, por volta de 10h da manhã.

A manifestação, que segue o modelo flashmob (ação coletiva que dura pouco e se dispersa rapidamente) foi organizada por meio de um blog e uma página no site Facebook que defendem os direitos dos homossexuais.

Em nota no site oficial do movimento, os organizadores dizem querer "fazer alguma coisa para demonstrar o nosso incômodo" com uma "instituição que há muitos anos tem sido antagônica, para não dizer inimiga, das lutas pelos direitos sexuais e afetivos de muitos".

O papa Bento XVI visitará Barcelona logo após sua visita a Santiago de Compostela, um dos lugares sagrados para a Igreja Católica.

Flashmob

A página do movimento no site social Facebook explica como deve funcionar a manifestação.

A organização vai disparar um sinal sonoro para dar início ao "beijaço". Dois minutos depois, outro sinal indicará que os participantes devem se dispersar "como se nada tivesse acontecido", segundo o site.

Segundo Joan Pérez, um dos organizadores, o evento não é especificamente contra o papa. "O beijo coletivo é uma forma de manifestar nosso desacordo com a maneira como a Igreja concebe as relações entre as pessoas", disse.

Pérez afirmou ao jornal espanhol El País que os organizadores não fazem parte de nenhum grupo político e que a manifestação deve ser pacífica.

Na página oficial do movimento, pede-se que os participantes não respondam a nenhum tipo de provocação ou insulto.

A convocação também foi estendida a heterossexuais. No entanto, o comunicado esclarece que todos devem beijar alguém do mesmo sexo.

"Eu não te espero"

A visita de Bento XVI à Espanha desencadeou uma onda de protestos em Barcelona. Além dos homossexuais, 50 associações de ateus organizam manifestações e distribuem cartazes com a frase "Eu não te espero".

Protestos de mulheres e até encontros de católicos para refletir sobre o "atual modelo de Igreja" também estão programados para o fim de semana.

Segundo jornais espanhóis, os moradores da região estão descontentes com o apoio financeiro "excessivo" à visita papal e com o tratamento da força policial da Catalunha, que cuidará da segurança do pontífice.

Fonte: g1, www.g1.com.br