Casal dos EUA é preso sob acusação de matar filha adotiva de fome; confira

Um grupo americano de advogados tenta provar a inocência dos pais

Matt e Grace Huang foram detidos no Qatar após a morte de sua filha adotiva. O casal foi acusado de deixar Gloria morrer de fome, disse Alex Simpson, diretor do Projeto Inocência Califórnia.


Casal dos EUA é preso no Qatar sob acusação de matar a filha adotiva de fome

Para Simposon, o casal é inocente e, por isso, membros do Projeto estão trabalhando no caso para provar que os pais não foram culpados pela morte da menina de oito anos.

Gloria foi adotada por Matt e Grace aos quatro anos, em Gana. O casal tem outros dois filhos, também adotados na África. As crianças foram proibidas de deixar o país e estão sob os cuidados da avó, que mora no Qatar.

De acordo com o jornal americano The Washington Post, o casal se mudou para o Qatar em 2012, porque Matt iria trabalhar como engenheiro em dois grandes projetos de infraestrutura associados com as melhorias para a Copa do Mundo de 2022.

A menina teria se recusado a comer durante vários dias e, em seguida, também teria parado de ingerir líquidos. Quando Gloria morreu, ela estava sem comer por quatro dias, o que levou as autoridades do Qatar a acreditar que seus pais a fizeram passar fome.

A criança, que foi considerada com pouco peso para sua idade, já havia sido tratada de parasita intestinal e exames de sangue recentes mostraram baixos níveis de um certo tipo de glóbulo branco no sangue de Gloria, bem como uma deficiência de vitamina D.

Ainda segundo Simpson, o fato de a família não ser convencional - um casal de americanos de origem asiática com três crianças negras - também pode ter complicado a situação porque as autoridades não estariam ?familiarizadas com as adoções internacionais?, disse ele.

? [Esse tipo de adoção] é uma coisa bastante incomum em qualquer cultura e pode ter contribuído para aumentar a preocupação de que algo desagradável e abominável poderia estar acontecendo.

Um relatório da investigação também levantou questões sobre o porquê de o casal adotar crianças que não compartilham de seus "traços hereditários" e levantou preocupações de que os menores faziam parte de uma operação de tráfico de seres humanos.

Fonte: r7