Caso Madeleine: polícia vai escavar região em que menina desapareceu

Os pais da menina, Gerry e Kate McCann, não irão viajar junto com as autoridades para a busca, mas estão “na esperança de ter boas notícias”.

Detetives britânicos estão se preparando para voar até o Algarve, em Portugal, e escavar a região perto do hotel em que Madeleine McCann, então com 3 anos, desapareceu em maio de 2007, na Praia da Luz.

Segundo o site britânico Daily Mail, funcionários da Scotland Yard planejam escavar dois lugares perto do hotel Ocean Club, no qual a família se hospedou na Praia da Luz, e mais um terceiro local na praia próxima.

Os pais da menina, Gerry e Kate McCann, não irão viajar junto com as autoridades para a busca, mas estão ?na esperança de ter boas notícias?.

A decisão de escavar a região do Algarve não veio em consequência de novas informações, mas é um procedimento de rotina dos detetives britânicos para os casos que ainda não foram resolvidos.

A polícia britânica, que irá usar radares para procurar terra remexida ou possíveis evidências, tem a esperança de encontrar pistas que podem ter passado despercebidas pelas autoridades portuguesas. Alega-se que algumas áreas já deveriam ter sido mais bem inspecionadas pelos portugueses há muito tempo.

Um amigo dos McCann disse que a polícia não está procurando especificamente por um corpo, mas tem a esperança de eliminar possibilidades para o crime, assim como encontrar novas informações.

O pai da menina participou de uma cerimônia de oração no sábado (3), aniversário de sete anos do desaparecimento da criança, na cidade de Rothley, onde mora a família. Ele disse que os detetives, na verdade, possuem sim novas evidências, e insistiu que ele e sua mulher continuam otimistas.

Um porta-voz da Scotland Yard disse que a organização não comenta pontos específicos do caso McCann.

Recentemente, soube-se que a polícia britânica estaria tentando falar com um pedófilo britânico que foi preso em um camping no Algarve em 2010 e extraditado para a Austrália. Ele era procurado neste país por ter estuprado uma menina de 8 anos de idade em 1998.

Roderick Robinson, de 77 anos, teria saído da Austrália em 2012 e ido para o Extremo Oriente. As autoridades acreditam que ele possa ter informações sobre uma quadrilha de pedófilos que agia no Algarve na época em que Madeleine desapareceu, há sete anos.

Existe uma ordem de prisão internacional para Robinson, que se estabeleceu em Brighton, na Austrália, antes de mudar seu nome e sair do país.

Fonte: r7