Chefe de polícia é demitido por "caso com amantes gêmeas"

Cresce o número de funcionários do governo afastados por escândalos envolvendo sexo e corrupção.

Um chefe de polícia na China foi demitido após ser acusado de ter um caso com duas irmãs gêmeas, segundo a imprensa estatal chinesa.

Chefe de polícia da cidade de Wusu, no noroeste da China, Qi Fang também é acusado de empregar as amantes na polícia local e de alugar um apartamento para elas com dinheiro público.

Ele deixou o cargo no sábado e está sendo investigado, segundo a agência de notícias Xinhua.

O caso de Qi é o mais recente escândalo envolvendo funcionários do governo cujo comportamento começou a ser questionado na internet e culminou em afastamento.

As acusações contra o chefe da polícia vieram à tona primeiro em um site local, em que a história vinha acompanhada de um foto mostrando as duas amantes praticamente nuas.

Segundo o site, Qi havia usado seu cargo para empregar as irmãs na polícia local. Uma delas trabalhava como oficial de operações especiais, enquanto a outra tinha um cargo no departamento de tráfego da cidade.

Apartamento de luxo

Ele também mantinha, segundo o site, um apartamento de luxo para as duas e incluía o aluguel em seus gastos oficiais.

Segundo um político do Partido Comunista na cidade citado pela Xinhua, "parte das acusações publicadas online era verdadeira, enquanto outros detalhes ainda estão sendo verificados".

Nos últimos meses, vários funcionários do governo chinês foram investigados após acusações surgidas na internet, o que vem gerando uma crescente revolta entre os chineses em relação ao que eles classificam como um estilo de vida extravagante de muitos integrantes do Partido Comunista.

Lei Zhenfu, oficial distrital de Chongqing, foi demitido no mês passado após um vídeo no qual ele aparecia fazendo sexo com uma jovem de 18 anos.

Um outro funcionário, dá área de segurança na província de Shaanxi, foi afastado após se popularizar na internet relatos sobre sua coleção de relógios de luxo.

Em seu primeiro discurso oficial, em 15 de novembro, Xi Jinping, o novo líder do Partido Comunista, disse que combater a corrupção era uma de suas prioridades. Segundo ele, a corrupção era algo que pode "matar o partido e arruinar o país."

Fonte: UOL