China já tem 46 contagiados pela nova cepa do vírus H7N9; Pequim tem primeiro caso

China já tem 46 contagiados pela nova cepa do vírus H7N9; Pequim tem primeiro caso

Dos 46 contagiados, 11 morreram, e por enquanto só se conhece a plena recuperação de uma criança de 4 anos.

As autoridades chinesas confirmaram neste sábado que uma menina de 7 anos de Pequim está contagiada com a nova cepa do vírus H7N9, o que representa o primeiro caso detectado na capital e eleva a 46 o número total de afetados no país.

Segundo a agência oficial Xinhua, a criança, cujo pai trabalha no comércio de frangos, está internada com quadro estável no hospital de Ditan, em Pequim. A agência aponta também que duas pessoas que tiveram contato próximo com a menina não apresentam sintomas da doença.

Entre sexta-feira e sábado foram confirmados outros cinco casos, sendo dois em Xangai, dois em Jiangsu e três na província de Zhejiang, ambos no leste do país.

Dos 46 contagiados, 11 morreram, e por enquanto só se conhece a plena recuperação de uma criança de 4 anos. Xangai segue como a cidade mais afetada pelo vírus até o momento, seguida pelas províncias de Jiangsu, Zhejiang e Anhui, todas elas situadas no leste da China.

Xangai, capital econômica da China, adotou uma série de medidas para evitar que a gripe se alastre para o resto do país, enquanto a indústria avícola chinesa é duramente afetada pelo surto.

A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar assegura que entre as pessoas que estiveram em contato direto com os contagiados não foi detectado nenhum sintoma anormal nem que indique a menor "relação epidêmica" entre todos eles.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), desde Genebra, também descartou a possibilidade de uma "epidemia", já que, por enquanto, não foi confirmado que o vírus passa de uma pessoa para outra. Não existe qualquer vacina para prevenir o vírus H7N9, segundo a OMS, que jamais detectou um caso de transmissão entre humanos.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), Bernard Vallat, classificou na quinta-feira de "bastante excepcional" a situação criada pelo vírus H7N9, já que sua detecção é muito difícil nas aves.

"Segundo a informação disponível atualmente, enfrentamos uma situação bastante excepcional, já que o vírus influenza é muito pouco patógeno no caso das aves, mas pode provocar uma doença grave nas pessoas infectadas".

A gripe aviária mais comum, provocada pelo vírus H5N1, matou mais de 360 pessoas no planeta entre 2003 e 12 de março de 2013, de acordo com a OMS.

Fonte: Terra