Christiane F., ex-‘drogada, prostituída’, narra sua nova vida em biografia

A nova autobiografia foi escrita com ajuda de Sonja Vukovic

A alemã Christiane Felscherinow, de 51 anos, lançará, neste mês, na Europa, uma nova autobiografia, que contará sobre sua vida, 35 anos depois da publicação da primeira edição de ?Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada, Prostituída...?, livro sobre a sua vida de sexo e drogas, que causou frisson em 1979, tornando-se um bestseller e adaptado ao cinema em 1981.

Entitulado ?Christiane F. - Mein Zweites Leben? (Christiane F. - Minha Segunda Vida), o novo romance conta como a alemã viveu após o sucesso do primeiro livro, passando pelo nascimento de seu filho (um jovem de 17 anos), o retorno ao mundo das drogas e sua superação. Hoje, ela trabalha em grupos de apoio amparando jovens usuários de drogas .

A obra narra ainda episódios importantes na vida de sua protagonista, como a viagem dela a Nova York para a estreia do filme baseado no primeiro livro, um show exclusivo do AC/DC que ganhou de presente, suas participações em diversos programas de televisão e seu desejo de se tornar cantora e atriz.

A nova autobiografia foi escrita com ajuda de Sonja Vukovic, que gravou cerca de 400 horas de entrevistas com Christiane, amigos e familaires. A escritora e jornalista teve também, durante os últimos três anos, acesso irrestrito ao apartamento da protagonista para ajudá-la na composição da autobiografia. A expectativa é que o livro seja publicado nos próximos dias na Europa.

Livro tem videoclipe promocional

Como parte da divulgação do novo romance, foi divulgado no Vimeo, um videoclipe no qual Christiane Felscherinow fala, em alemão, sobre sua história de sobrevivência. ?Depois de 35 anos ainda não estou morta. Ninguém acreditaria que eu chegaria aos 50 anos. Muitas pessoas mudaram, perdi muitas pessoas importantes em minha vida nos últimos anos, mas um monte de coisas boas foram acontecendo para mim?, comenta ela.

Christiane F. também fala sobre as expectativas do público. ?As pessoas parecem querer saber o que aconteceu, sinto que preciso contar o que se passou desde aquela época?.

Fonte: G1