Cientistas usam "pornô panda" para acasalar bichos da espécie ameaçada

Técnica é aplicada em centro de reprodução de pandas da China.


Cientistas usam

O centro de pesquisas e reprodução de Chengdu, na província de Sichuan, na China, passou a utilizar um método ?ousado" para forçar a reprodução de pandas-gigantes, espécie considerada ameaçada de extinção.

De acordo com a agência Reuters, agora os cientistas exibem gravações de relações sexuais de outros pandas para estimular a reprodução entre os animais do centro. Os vídeos ficaram conhecidos na mídia internacional como ?pornô panda?.

Imagens divulgadas nesta quinta-feira (21), feitas no último dia 10, mostram a fêmea Ke Lin assistindo a um dos vídeos. Na sequência de três fotos é possível notar a panda ?empolgada? durante a exibição do vídeo. Ela chega a ficar em pé por alguns momentos, no intuito de assistir melhor ao acasalamento gravado.


Cientistas usam

Segundo o corpo técnico do centro de pesquisas, o objetivo do vídeo era "quebrar" a rejeição de Ke Lin ao macho da mesma espécie batizado de Yong Yong.

Tentativas de reprodução anteriores entre os exemplares não haviam alcançado êxito. No entanto, após a exibição do vídeo, os dois pandas acasalaram.

De acordo com ambientalistas, existem pouco mais de 2 mil pandas vivendo livremente na natureza, sendo que a maioria vive em apenas seis regiões montanhosas da China, que permanecem isoladas.

Eles foram classificados como ameaçados e foram inseridos na lista vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). Os principais motivos de redução de pandas são o aumento da população humana e expansão da infraestrutura.

Fonte: G1