Próximo à eleições, combates no Iêmen deixam cerca de 21 mortos

Saleh concordou nesta semana a deixar o poder depois de 10 meses de protestos para por fim a seus 33 anos de governo

Ao menos 21 pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas no norte do Iêmen, onde rebeldes muçulmanos xiitas estão atacando posições mantidas por combatentes salafistas sunitas, disse um porta-voz dos salafistas neste domingo.

O ataque, que matou três pessoas no sábado, continuou durante a tarde de domingo, disse ele, deixando 21 mortos e 48 feridos até agora.

O conflito no norte é um dos vários que assolam atualmente o Iêmen, que planeja realizar eleições no próximo ano para substituir o ditador Ali Abdullah Saleh.

Saleh concordou nesta semana a deixar o poder depois de 10 meses de protestos para por fim a seus 33 anos de governo.

Os vizinhos do Iêmen, além de Washington e das Nações Unidas, esperam que um processo político consiga impedir que o país empobrecido e repleto de armas mergulhe na guerra civil.

As potências regionais, inclusive a Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo do mundo, temem que um vácuo político no Iêmen reforce a rede terrorista Al Qaeda no país.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br