Consulado marca 2ª missão para resgatar brasileiros no Japão

Dois ônibus passarão pelas cidades de Sendai e Onagawa. Sete brasileiros ainda não foram localizados pelo consulado.

O consulado do Brasil em Tóquio emitiu um comunicado nesta quinta-feira (17) confirmando para sábado uma segunda missão de resgate de brasileiros nas regiões atingidas pelo terremoto e tsunami, na costa nordeste do Japão. Segundo informações do consulado, "por volta de 14 brasileiros ainda estão nas áreas atingidas". Desses, sete foram localizados.

A segunda missão na província de Miyagi ocorrerá na manhã de sábado (19) e passará pelas cidades de Sendai e Onagawa. Em Sendai, dois pontos de encontro foram marcados: 8h (locais, 20h do dia anterior no horário de Brasília) na estação de Sendai e 10h em Tohoku Daigaku.

Em Onagawa, um dos veículos chegará ao abrigo montado em um ginásio, onde, segundo o consulado, estão os sete brasileiros. Depois, os veículos do comboio retornam a Kamisato, na província de Saitama, na região de Tóquio.

O consulado informa que, se algum brasileiro estiver em Miyagi ou na região e não tiver como se locomover, deve entrar em contato pelos números 03-5488-5665 ou 090-6949-5328. O email do consulado é o [email protected]

Nesta quinta, um grupo de brasileiros fez protesto em frente ao consulado do Brasil em Tóquio. Eles pedem que o governo brasileiro envie voos fretados para resgatá-los. Brasileiros seguravam faixas com "Queremos voltar" e "Mandem os Hércules da Força Aérea Brasileira". Segundo as agências de viagem locais, só há passagem de Tóquio para o Brasil daqui a 11 dias - veja no vídeo ao lado. O consulado informou que não soube da manifestação.

Na quarta-feira, uma primeira missão resgatou 37 pessoas, entre eles 26 brasileiros, das regiões atingidas. Segundo o cônsul do Brasil no Japão, cerca de 15 brasileiros não haviam sido localizados na ocasião.

O terremoto seguido de tsunami deixou 5.178, em 12 províncias do Japão. Cerca de 8.606 continuavam desaparecidos, segundo dados divulgados pela Polícia Nacional nesta quinta.

Fonte: g1, www.g1.com.br