Declarações de Chávez sobre câncer não condizem com exame

Chávez revelou ter câncer em 30 de junho, após semanas de especulação.

As (poucas) informações divulgadas pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, sobre seu tumor não condizem com o quadro clínico apontado pelos exames analisados por patologistas brasileiros, informa a coluna Mônica Bergamo do jornal Folha de S. Paulo.



Segundo a coluna já havia revelado nesta semana, as lâminas mostraram lesões na próstata, em um nível avançado. O tratamento para esse tipo de câncer não prevê quimioterapia --que Chávez estaria fazendo em Cuba-- não provoca abscesso e não exige duas cirurgias --que Chávez diz já ter feito em sua primeira estadia na ilha comunista.

Chávez revelou ter câncer em 30 de junho, após semanas de especulação, em uma mensagem lida em rede nacional em Havana, onde deveria encerrar uma turnê de visitas iniciada no Brasil no começo do mês.

Menos de quatro dias depois do anúncio da doença, Chávez retornaria de surpresa a Caracas, às vésperas do aniversário de 200 anos do país.

Naquele momento, ele anunciou ter feito duas cirurgias em Cuba --uma delas para a retirada de um tumor. Chávez não informa que órgãos ou tecidos foram atingidos pelo câncer nem qual seu estágio. Negou, porém, que a doença tenha atingido o cólon ou o estômago.

Até semana passada, tudo indicava que Chávez viria ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para fazer sessões de quimioterapia contra seu câncer, como fez seu colega paraguaio, Fernando Lugo, que sofreu de câncer linfático no ano passado.

No sábado (16), contudo, Chávez chegou à Cuba, onde informou que deseja seguir o tratamento quimioterápico para câncer. Ele não descartou uma visita futura ao Brasil, no entanto.

Fonte: Folha.com