Deputados do Reino Unido querem limitar o número de habitantes do país

Deputados do Reino Unido querem limitar o número de habitantes do país

Campanha que pede restrições à imigração tem o slogan "70 milhões é muito"

Um grupo de deputados britânicos pediu nesta quarta-feira (6) aos principais partidos do país a assinatura de um manifesto restritivo à imigração que pretende fixar um teto de 70 milhões de habitantes para a população do Reino Unido.

Segundo previsões do Escritório de Estatísticas Nacionais britânico, se a tendência atual continuar, a população britânica seguiria crescendo em ritmo acelerado até alcançar 71,6 milhões no ano de 2033.

Dois terços do aumento previsto seriam consequência direta ou indireta da presença de população estrangeira.

Cerca de vinte de membros da Câmara dos Comuns (equivalente à Câmara dos Deputados), entre eles cinco trabalhistas e dez conservadores, apoiam uma campanha que pede limites à imigração e recebeu o slogan "70 milhões é muito".

Segundo os deputados, os atuais níveis de imigração no Reino Unido "não têm precedentes" e ameaçam "a futura harmonia de nossa sociedade".

"É hora de os partidos transformarem sua retórica em medidas concretas, se comprometendo em um manifesto para impedir que a população chegue aos 70 milhões no ano de 2029", assinalam no manifesto.

Para cumprir o objetivo, dizem os parlamentares, o governo deve recuperar o controle sobre as fronteiras britânicas e "acabar com a atual relação quase automática entre a chegada à Inglaterra e a posterior obtenção da cidadania".

Em discurso em novembro, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, prometeu "endurecer" as regras de imigração britânicas, reduzindo o número de setores que podem recrutar estrangeiros e fazendo com que fique mais difícil para os trabalhadores ilegais entrarem no país com vistos para estudar.

A oposição conservadora quer pôr um limite anual ao número de trabalhadores estrangeiros e tenta garantir que apenas profissionais altamente qualificados entrem no país.

"Copyright Efe - Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe."

Fonte: R7, www.r7.com